segunda-feira, 31 de dezembro de 2018

"Numa casca de noz" de Ian McEwan - Bom Ano de 2019 com boas Leituras


Excertos
"O pessimismo é demasiado fácil, mesmo delicioso, é a insígnia e o penacho dos intelectuais de toda a parte. Dispensa as classes pensantes de encontrarem soluções."

"Pais e filhos. Ouvi isso uma vez, e não me vou esquecer. O que os une na natureza? Um instante de cio cego."

Outra obra pouco extensa, como é frequente nos romances do inglês Ian McEwan, "Numa casca de noz" é a narrativa feita pelo feto a partir do ventre materno da escuta do plano de sua mãe com o seu tio e amante para envenenarem o seu pai, da descrição da cena do ato criminoso, dos pormenores seguintes para fugirem à justiça e ainda intercalado com reflexões dos desejos futuros e da imaginação do mundo exterior feitas pelo nascituro dentro daquela casca de noz apertada, onde, apesar de tudo, mantém constante o seu amor filial.
A originalidade de dar voz a alguém antes de nascer sobre o que se passa no mundo exterior, onde ele já tem contacto com as injustiças sociais através do que ouve pelo corpo da mãe e a perceção dos problemas globais da atualidade dada as audições maternas, imaginando as características do mundo que desconhece e enquanto assiste impossibilitado à estratégia de se pôr termo à vida de um dos seus progenitores, tornam o trama já de si interessante, a que se associa uma escrita elegante e bem trabalhada, a que se junta uma crítica mordaz à sociedade e aos que estão mais próximos com um respeito contemplativo pelos pais e sem nunca desaparecer o humor na forma, o que torna o texto uma delícia. Gostei muito e recomendo.
Este terá sido o último livro concluído em 2018, pelo que aqui também vão os meus votos a todos os leitores de um feliz e próspero ano de 2019 e a recomendação de que cultivem o gosto pela leitura que permite sempre abrir mais horizontes de observação para o Mundo e a Humanidade.

5 comentários:

Pedrita disse...

adoro mcewan, esse nao li. anotadíssimo. feliz 2019 com muitas leituras. beijos, pedrita

Carlos Faria disse...

No Brasil penso que se o título é "Enclausurado" é muito bom.

morgana disse...

Dele li the cement garden, e percebi que era uma escrita crua, forte, diferente e que deixa marca em quem lê.

Carlos Faria disse...

Neste não é muito crua, mas marca.

Pedrita disse...

ah, obrigada por avisar que no brasil o nome é outro.