quinta-feira, 3 de janeiro de 2019

"Hamlet" William Shakespeare


Excertos
"Ser ou não ser, eis a questão:"
"...pois mais facilmente torna o poder da beleza a honestidade chula do que pode a honestidade fazer da beleza algo a si parecido."
"A loucura dos grandes não se pode descurar."

Após leitura da anterior obra que assumia similitudes intencionais com esta tragédia, reli novamente aquela que é uma das peças mais importantes de William Shakespeare "Hamlet", embora antes a tivesse lido em inglês, o que me obrigou a um grande esforço e a sensação de perda de pormenores. Agora reli-a em português, mas numa edição bilingue, cuja tradução procurou preservar, dentro do possível, o estilo de sintaxe original, a forma do verso e a antiguidade da estrutura, sendo viável confirmar este intento, descrito no fim do livro, comparando linha a linha os dois textos postos em páginas lado a lado.
Esta peça passa-se no palácio Elsinore na Dinamarca, onde o jovem príncipe Hamlet se vê confrontado, logo após a morte do rei seu pai, com o casamento de sua mãe rainha com o cunhado, só que o falecido aparece a pedir justiça, pois, contrariamente ao tornado público, fora morto pelo seu irmão que lhe tomara o trono e a mulher. Então o filho irá engendrar uma representação de teatro dentro da obra para desmascarar o crime, simulando loucura, que leva a perturbações que envolvem traições e o uso de servidores e nobres enganados e novas fidelidades ao poder. Assim, meio do assunto central, existem paixões em torno do príncipe, questões de lealdade e honra e peripécias nomeadamente de soberania com conflitos com a Noruega e acordos secretos com a Inglaterra que no conjunto desembocam em tragédia para quais todos as personagens.
A peça parece uma sucessão de quadros que vão montando as histórias de vingança, traição, paixão e reflexões sobre a vida, o amor, a honra, a fragilidade humana e a morte. Assim surgem importantes frases que se tornaram citações famosas desta obra, cuja leitura nem sempre é fácil pelo estilo, densidade e mesmo subtilezas escondidas, algumas vindas de conceitos da época não evidentes hoje.
Como obra e enredo está-se perante uma das maiores obras-primas da literatura mundial que vale o esforço que exige a sua leitura. Gostei muito, mesmo que por vezes tivesse de repetir a leitura de certas partes do texto para perceber convenientemente o seu conteúdo.

7 comentários:

ematejoca disse...

Conheço todas as peças de William Shakespeare mas, HAMLET é a minha favorita.
Li esta peça, primeiro em português, durante a minha estadia na Inglaterra, em inglês e mais tarde em alemão. Vi representar está peça uma centena de vezes, até na língua holandesa. Em Weimar vi esta peça, sendo o Hamlet representado por uma mulher | actriz.

Desculpe este desabafo, Carlos, mas tocou numa peça imortal.

ematejoca disse...

A imagem é do filme com Laurence Olivier, que tenho o DVD.

Carlos Faria disse...

Não devo ter visto o filme, mas suspeitava que fosse de uma adaptação cinematográfica. Falta-me ler ainda muitas obras de Shakespeare, mas, das que já li, esta parece-me a mais profunda e com mais conteúdo. Gosto muito de MacBeth e do Rei Lear. Otelo conheço mas não li e parece-me interessante, a que me seduz menos a ler é a conhecidíssima Romeu e Julieta, soa tão pobre depois de conhecer a vida real de Pedro e Inês que o dramaturgo nem deve ter conhecido, para falha dele.

Pedrita disse...

shakespeare é sempre maravilhoso. beijos, pedrita

Kelly Oliveira Barbosa disse...

Feliz 2019 Carlos! Que Deus te abençõe imensamente nesse novo ano!

Gosto demais dessa peça e adorei os comentários :)

Abs.

Carlos Faria disse...

Sim Pedrita, mas dentro do maravilhoso Hamlet está no topo, para mim, como dizemos em Portugal: é a nata das suas obras.

Kelly
Obrigado e que a benção seja também estendida a si a toda humanidade que me parece demasiado perdida.

Pedrita disse...

carlos, meu preferido é rei lear, apesar que amo macbeth. falei de livro no meu blog.