sexta-feira, 22 de fevereiro de 2008

O VULCÃO DOS CAPELINHOS HÁ 50 ANOS

As emanções de calor, vapor de água e outros gases vulcânicos, bem como gotícolas de lava projectada de dimensão diversa (desde cinzas até bombas vulcânicas, com dimensões de milímetros, centímetros até vários decímetros de comprimento e designados em conjunto por piroclastos) provocam perturbações no ar atmosférico imediatamente acima da chaminé vulcânica em actividade.
[Foto publicada em: Machado, F. e Forjaz, V. H. (1968) "Actividade Vulcânica do Faial - 1957-67" Ed. Com. Reg. Turismo Distrito da Horta]

As perturbações geradas sobre a chaminé, pela coluna eruptiva, geram fenómenos meteorológicos variados, desde turbilhões de vento, chuvas de intensidade variada, até descargas eléctricas como as que se vêm na foto acima e nem sempre fáceis de captar em imagem naquela época.

Aproveito para informar que o autor
da foto - Tomás Pacheco - foi um faroleiro então residente no Farol dos Capelinhos, que recebeu uma máquina de fotográfica dos geocientistas da época para cobrir o fenómeno, de modo a permitr o acompanhamento da situação durante a ausência destes da ilha. Tarefa que desempenhou com grande brio, qualidade, quantidade e de um modo digno de louvor e a quem presto aqui homenagem pelas numerosas fotos que tive o gosto de analisar, sobretudo se tivermos em conta que a acção não era isenta de riscos, implicava dedicação e não era uma actividade comum na época.

1 comentário:

Ana Rita disse...

A isso eu chamo um "ser superior".