segunda-feira, 27 de agosto de 2007

DESGASEIFICAÇÃO VULCÂNICA SUBMARINA? - Ponta da Espalamaca Faial

EXPLICAÇÃO DO VÍDEO ABAIXO

O magma, além da sua fracção líquida mais ou menos viscosa, possui uma fracção gasosa muito importante, a qual é mesmo um dos principais motores das erupções.
Em virtude de microfissuras nas rochas, os gases vulcânicos tendem a ascender até à superfície da Terra, sendo esta desgaseificação mais evidente em pontos onde a saída dos gases é concentrada como nas fumarolas (predomínio da água), sulfataras (enxofre) e mofetas (dióxido de carbono = CO2).
Menos conhecida da população é a libertação de gases difusa através do solo, cujas quantidades, variações espaciais e temporais podem ser medidas com equipamentos próprios, bem como interpretadas geologicamente.


Na última década de 90 acompanhei, num semirígido, o Prof. José Madeira, da Faculdade de Ciências da UL, num reconhecimento da geologia costeira do Faial, tendo então verificado da existência de um local na Ponta da Espalamaca onde saía grande quantidade de bolhas do fundo do mar.
Em 2002 o tema da minha tese, de que resultou um mapa colocado no post "Faial cortado à faca" teve como base um extensa cobertura geográfica sobre a desgaseificação difusa de CO2 na zona leste do Faial, não encontrei na área da Espalamaca manchas de libertação de CO2 anómalas.
Em 2007 foi muito noticiado o facto de se ter detectado uma emissão de CO2 dentro de uma casa situada na Praia do Almoxarife, sobre a escarpa de uma falha geológica. Acompanhei parte do processo, coordenado pelo CVARG, onde foi confirmada a situação, que levou ao realojamento da família num outro local.


Em conversa sobre este tema com o meu colega Marco Aurélio Robalo Santos, biólogo marinho, na semana passada, este confirmou a mancha de libertação de bolhas submarina junto à Ponta da Espalamaca, próximo da casa mencionada, mostrou-me inclusivé o filme que efectuara em apneia, no ano de 2005 e o mesmo foi colocado no post para todos constatarem o fenómeno.


Não foram feitas análises, não confirmo que seja CO2 (até porque vejo muitos peixes por perto), mas a falha geológica está na zona, a desgaseificação foi detectada numa casa em terra... fica o trabalho para mais geólogos trabalharem e confirmarem o que ali se passa, pois existe outro local na área embora com menos intensidade de bolhas
Comparado com a zona de emissão submarina na Queimada (ilha de S. Jorge) de onde já colhi amostras e rica em CO2, esta zona é duma intensidade fenomenal, senão vejam e impressionem-se com o filme do Marco Santos!

4 comentários:

Anónimo disse...

Carlos, esta era a zona que já me tinhas falado previamente junto à ponta da Espalamaca. Não pensei que fosse tão intensa e pela localização deve mesmo ser CO2. Sabes se tem temperatura associada ou é apenas desgaseificação difusa a temperatura "normal"?
Beijinhos, Fátima.

geocrusoe disse...

Olá Fátima, não sei mais nada a não ser que foi isto que vi há vários anos, ainda antes de me debruçar sobre gases vulcânicos. Foi a proximidade do local onde fizemos as medições no interior da casa que fez iniciar a conversa com o meu colega Marco e ele mencionar-me o filme que fez... mas um dia haveremos de descobrir o que queremos saber, não é verdade?

Anónimo disse...

Pois é, Carlos.
Um destes dias temos que ir lá e medir "in loco" o que se passa.
Fátima

Anónimo disse...

eu ja entri dentro desssa casa com um dos antigos proprietarios da casa e ia desmaiando no res do chao
ja no segundo piso nao se nota tanto