domingo, 15 de março de 2009

Recuperações: FORNOS DE TELHA

Talvez porque porque gosto muito dos imóveis em si, talvez porque estão num dos meus lugares predilectos ou talvez porque já antes do sismo eu pensava na sua reabilitação e ela só recentemente veiu e, sobretudo, para contrariar o post anterior...

Aqui estão novamente os exemplos da recuperação dos fornos de telha da Boca da Ribeira da Ribeirinha.

Não estão a ser usados na cozedura de novas telhas canudo, típicas das coberturas dos nossos edifícios açorianos, mas possuem elementos que demonstram como eram feitas estas peças antigamente.

O conjunto dos fornos, junto a um abrigo de barcos, forma um aglomerado de imóveis de arquitectura industrial rural tradicional único no Faial e uma prova que quando o homem quer, sabe mesmo recuperar o legado dos nossos pais para memória futura.

Talvez um dia um artista do barro também possa voltar aproveitar estas recuperações para demonstrações mais profundas sobre o modo de trabalhar o barro e dar ainda mais vida a estes fornos de telha... nem que seja ocasionalmente, até lá... fica o bom e belo exemplo.

10 comentários:

José Quintela Soares disse...

Tudo o que envolva recuperação de património, é louvável.

A ilha dentro de mim disse...

As coisas boas também merecem o devido reconhecimento. E este é um belo exemplo do que pode ser feto com as ru+inas.

Grifo disse...

não fazia ideia, mas a identidade que os recuperou, está de parabéns, aproveito para dizer que seria um local interessante para exposições de trabalhos em barro e workshops de cerâmica...

geocrusoe disse...

ao josé quintela
concordo e tem sempre o meu apoio.

a ilha dentro de mim
exactamente, normalmente denunciamos os aspectos negativos, raramente se elogia as intervenções positivas, uma atitude que deveríamos mudar.

ao grifo
não sei se a intervenção considerou um uso de materiais com resistência ao calor (material refractário), mas se sim, pode servir de apoio a workshops de cerâmica... pelo menos por agora a explicação é possível e os imóveis não desapareceram

JCARLOS disse...

muito bem um exemplo de recuperação sem duvida, esperemos que outras recuperaçoes consigam o mesmo efeito...

geocrusoe disse...

ao jcarlos
já sabes que assumno sempre defender a causa da defesa do nosso património.

nanda disse...

Quando estive aí, não estavam totalmente reparados.
Está bonito!
Poderiam ter uma placa explicativa.É uma sugestão

geocrusoe disse...

à nanda
vou fazer chegar a sugestão a quem pode por em prática a ideia. obrigado por contribuir para se melhorar o sítio e a intervenção.

Os Incansáveis disse...

Adorei este post. Gosto muito de história e a arquitetura conta muito sobre os costumes dos povos e recuperar edifícios antigos nos ajuda a entender nossa própria história.
Denise

geocrusoe disse...

Por ser um motivo que também me cativa e porque importa também relatar bons exemplos para incentivar a resolução de outras casos pendentes, foram razões que estiveram na base deste post situados num dos meus locais predilectos da minha comunidade rural.