domingo, 17 de agosto de 2008

CENTRO DE INTERPRETAÇÃO DO VULCÃO DOS CAPELINHOS 1

A caminho do Vulcão dos Capelinhos...

Mesmo defronte do vulcão e do ex-libris do farol...

E, por debaixo daquele chão... esconde-se o grande e moderno Centro de Interpretação do Vulcão dos Capelinhos, onde neste momento está a decorrer a cerimónia de inauguração.

Um edifício arquitectonicamente arrojado no seu interior, mas dissimulado externamente para se fundir com a topografia e as cinzas do vulcão, que aproveita ainda as estruturas soterradas do farol e respectivos anexos.

O Centro de Interpretação do Vulcão dos Capelinhos alberga uma enorme sala de acolhimento, zonas de serviços, locais de aquisição de lembranças e, ainda: um anfiteatro de conferências, áreas de exposições temporárias e vários espaços de exposições permanentes interpretativas, estas últimas repletas de dinamismo devidos à intensa utilização de tecnologia multimédia.

A imponente sala de acolhimento, no seu centro uma grande estrutura a recordar uma coluna eruptiva dum vulcão.

Área de exposições temporárias, onde vários temas mudarão com o decorrer do tempo.

Uma das amostras de rocha vulcânica presentemente em exposição.

O anfiteatro de conferências e para palestras das visitas guiadas ao Centro de Interpretação.

Sala de aquisição de lembranças do Vulcão dos Capelinhos.

Todas as imagens foram recolhidas durante os trabalhos preparatórios da inauguração, amanhã espero prosseguir com fotografia sobre os espaços das exposições permanentes, didácticas e altamente enriquecidas pela tecnologia multimédia...

11 comentários:

Fernando Vasconcelos disse...

Espectacular edifício. Suponho que aquela coisa em madeira é para sair não ? E a linha o que é ? E aquelas duas "caixas" ao pé do tecto ? Tudo material ainda por retirar ? Desculpe a curiosidade.

geocrusoe disse...

O motivo porque informei que as fotos foram efectuadas durante os trabalhos preparatórios da inauguração foi exactamento por existirem aspectos finais ainda por concluir. Aliás, durante a cerimónia estava em viagem para Ponta Delgada onde me encontro. Parte das estruturas que referiu, nomeadamente rampas, barreiras, cabos e bancada são de apoio ao espectáculo inaugural que não assisti. As linhas, suponho que se está a referir aos trilhos de circulação de acesso ao imóvel (Cor clara), pois o edifício encontra-se sobre a cinza vulcânica e tal como a areia das dunas não deve ser pisada.
Nas fotos do próximo post verá que existem ainda situações de arrumação não concluídos, pois as fotos também são de véspera. Mas vale a pena visitar o Centro

Fernando Vasconcelos disse...

A linha a que me referia deve ser um cabo pelo que me está a dizer. Também me parecia serem coisas temporárias ... foi mesmo só curiosidade.

Pedrita disse...

nossa, que infra-estrutura. beijos, pedrita

serebelo disse...

Fabuloso, mais uma (além de todas as outras) razão para aí voltar. Abraço continental.

Teresa B disse...

Este Julho passei férias no Faial e tive muita pena de, por pouco, não poder visitar o novo Centro (ia com intenção de revisitar o antigo, naquela casinha de pedra negra, mas já não existia, e deparei-me com essas obras!). Vivam os blogs e a internet que me permitem dar aí um saltinho e ficar a saber tão interessantes novidades.
TeresaB

Jose Augusto Soares disse...

É, de facto, espantoso.
Deveria servir de exemplo para muitos "atentados", praticados por esse país fora, ao bom gosto e ao bom senso.
Parabéns ao Faial.

geocrusoe disse...

pedrita
sim é uma importante e bela estrutura de divulgação científica.

serebelo
já sabes que és sempre bem-vindo e como há muito tempo não vou a Lisboa seria uma oportunidade para encontrar-mo-nos novamente. Aproveita ao Faial Filmes Fest... este ano promete.

teresa b
a colecção que lá se encontrava foi transferida para este novo espaço, ficará temporaria e parcialmente exposta (junto com outra adquirida a um particular) na sala de exposições temporárias e irá rodar com outras que entretanto deverão surgir.Mas venha outra vez ao faial, agora tem um novo motivo.

josé augusto soares
efectivamente é um bom exemplo em termos técnicos de aproveitamento de uma ideia e de um espaço.

Lisete Abreu disse...

Bom dia, acho o seu blog muito interessante, sobretudo no que diz respeito ao vulcão dos Capelinhos e ao centro de interpretação; até porque sou faialense e infelizmente nao tive oportunidade de visitar o centro de interpretação todo.
Eu sou aluna de Informação Turística na Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Estoril e encontrei o seu blog por estar a tentar realizar um trabalho, no ambito turistico e cultural, sobre o centro de interpretação, bem como a área envolvente. Por isso gotaria de saber se me poderia fornecer mais alguma informação extra, essencialmente sobre o centro de intrepretação do vulcão?
Agradeço a sua atenção e deixo-lhe o meu e-mail caso me possa dar uma ajudinha.

lisete_teles@hotmail.com

patrícia disse...

Boa tarde,
estudo arquitectura na Universidade de Évora e de momento estou a realizar um trabalho sobre o centro interpretativo dos capelinhos. Assim, necessitava de ter acesso a uma planta em que pudesse identificar as áreas do centro. Sabe dar-me essa informaçao?
Deixo-lhe o meu email:
salome.faustino@gmail.com
muito agradecida

Carlos Faria disse...

Tentarei nos próximos dar-lhe os contactos das pessoas que poderão ter acesso a essa documentação.