quinta-feira, 20 de dezembro de 2007

EMPILHAMENTO DE LAVAS

Quando se começa a aprender os grandes grupos de rochas em geologia: Ígneas (formadas a partir do arrefecimento do magma na crosta e quando as vemos nos continentes é frequente não serem de origem vulcânica - caso do granito); Sedimentares (formadas junto à superficie devido à acção da água, do vento, dos seres vivos e das variações térmicas) e Metamórficas (formadas a profundidade variável na crosta e a partir de rochas pré-existentes, devido a transformações provocadas pela temperatura e pressão); destas as rochas sedimentares são muitas vezes referidas como possuindo a característica de apresentarem habitualmente estratificação... só que as rochas vulcânicas, que são ígneas também, ao contrário do granito, por norma, são estratificadas. Como se vê na foto pertencente à formação do Complexo Vulcânico do Cedros, no Faial. Cada camada corresponde a uma escoada de lava, por norma o centro de cada uma encontra-se mais coeso (consolidado), na foto cinza mais claro, enquanto o respectivo topo e base muitas vezes tem um aspecto granular solto (clinker), na foto mais escuro e avermelhado e as camadas de cima são geralmente mais recentes - Princípio da Sobreposição.
Estes empilhamentos são típicos de vulcões poligenéticos e, devido a este tipo de sobreposições, conhecidos por estratovulcões. Nesta sobreposição de camadas as rochas da base e do topo têm frequentemente idades que distam centenas de milhares de anos e o estudo das camadas permite fazer a história geológica do vulcão.

6 comentários:

Paulo Pereira disse...

Excelente foto demonstrativa da poligenia. A que tipo de erosão se deve esta exposição?

geocrusoe disse...

Infelizmente ao sismo de 9 de Julho de 1998 que teve o mesmo efeito em toda a costa norte da ilha, simplesmente aqui continua sem coberto vegetal devido à maior jovialidade das formações do que na Ribeirinha... e se não estou enganado na pessoa, está profissionalmente ligado a movimentações de massa e esta frente fica na foz a Ribeira da Cabras, entre a Praia do Norte e a localidade da Ribeira Funda, que julgo conhece bem...

Anónimo disse...

Não estou ligado a movimentos de massa, se bem que regularmente provoque pequenos deslizamentos da massa corporal, contudo, nunca chegando a avalanches – não se reconhece qualquer registo observado, nem descrito na bibliografia da especialidade.
Relativamente à massa cerebral é que estou mais preocupado porque denoto algum creeping (reptação), sobretudo nas piadas. Penso, contudo, que a massa cerebral não chegou ainda à solifluxão, mas para lá caminha...
Bem, agora a sério, profissionalmente estou ligado ao humor, perdão, ao ensino e estive consigo na FCL de 83 a 85. Senão me engano na pessoa...

Paulo Pereira disse...

Esqueci-me de assinar.
Cumprimentos.

geocrusoe disse...

Bem deve ser verdade, pelo menos andei por lá entre 82 e 87... mas existe um candidato a PHD na UA que se dedica a movimentos de massa, chamado Paulo e que costuma reagir quando o tema surge e daí a confusão. pelo menos o meu campo de intervenção não é o ensino, mas é dou assistência a ilusionistas, perdão também, à administração do governo regional. Com o tempo hei-de recordar-me do nome... Bom Natal e apareça por cá sempre que quiser e com boa disposição.

Anónimo disse...

Paulo, Pico, Biologia, desse tempo, és capaz de conhecer. Da mesma maneira, Ribeirinha, Canadá e Geologia, penso não haver outro.
Bom Natal.
P.S.- Tenho feito comentários desde Maio/Junho, por vezes com heterónimos, vê lá se não me tomaste por outro.