domingo, 4 de outubro de 2009

PORTÃO DE PORTO PIM

(clique nas imagens para as ampliar)

Recordações do passeio na baía do Porto Pim integrado nas comemorações no Faial das Jornadas Europeias do Património com o lema "Conhecer para Proteger".

Paragem junto ao Portão de Porto Pim onde foi debatida a reabilitação/recuperação de imóveis históricos.
No Portão de Porto Pim, o alçado exposto ao mar é essencialmente constituído de tufo vulcânico, esta rocha é o material de construção de vários edifícios (sobretudo militares na Horta), como já falei aqui, mas, provavelmente por questões de maior resistência e consistência do basalto (quase preto), é esta última rocha que forma o arco do portão. e a rampa de acesso dos barcos ao mar. Dois produtos vulcânicos abundantes na Baía de Porto Pim.

7 comentários:

Xinando disse...

Ao que se diz, a consistência do basalto não rivaliza com as capacidades do tufo em absorver impactos, o que nos tempos de corsários e ataques por mar (sobretudo perto das praias), dava bastante jeito.

Nanda disse...

É de lamentar a recuperação do muro em cimento.

geocrusoe disse...

ao xinando
pois é provável que o tufo absorvesse as ondas, mas com o tempo desgasta-se mais rapidamente, há sempre o verso e o reverso nestes casos.

à nanda
esse assunto foi discutido intensamene no passeio quando estivemos defronte do muro.

Grifo disse...

Discutido intensamente de mais até...

geocrusoe disse...

ao grifo
opiniões ;)

Café Puro disse...

Pois é pena o "atentado" no muro ao lado não aparecer nas fotos.
Mais uma má decisão de um incompetente ou um deslize grave de um profissional?
Quem assume o acto e as suas consequências? Quem corrige?

geocrusoe disse...

Boas perguntas, mas o melhor local para discutir esse aspecto é no blog "Horta XXI" e aqui neste periodo tal não conveniente.