sexta-feira, 2 de outubro de 2009

FREGUESIAS RURAIS DO FAIAL 5 - Salão

Freguesia do Salão observada dos Matos da Ribeirinha/Espalhafatos

Salão é uma das menores freguesias rurais em termos populacionais do Faial, pouco mais de 400 pessoas e dispõe-se numa encosta suave inclinada para norte. As suas casas dispersam-se sobretudo num anfiteatro composto de vários arruamentos ao longo do declive norte sul designados por canadas (termo antigo que significa rua), que unem a rua da igreja em semicírculo na zona mais elevada e antiga à Estrada Regional de direcção essencialmente Este-Oeste, que forma o principal eixo populacional actual, e a menor altitude.

Encosta suave onde se implantou de forma dispersa a povoação

Apesar de ser um povoamento antigo, é uma das freguesias mais jovens da ilha, criada apenas em 1730, mas a sua pequena dimensão nunca impediu uma florescente actividade cultural que se estende até à actualidade, contrariamente à sua fruticultura famosa até ao início do último quartel do século XX, sobretudo a qualidade dos seus pêssegos e maçãs, época a partir da qual é quase extinta pela expansão da agropecuária bovina e coincidente com o fim da sua actividade baleeira muito significativa no passado.

A Estrada Regional junto ao actual centro do Salão, ao fundo os Espalhafatos e o Pico entre as nuvens

Fortemente danificada pelo sismo de 9 de Julho, devido à proximidade da zona epicentral situada
a norte da Ribeirinha, freguesia que lhe faz fronteira para nascente, neste momento a principal referência ainda não recuperada é a sua igreja, a reconstruir transferida para a Estrada Regional com uma arquitectura moderna e arrojada.
O nome Salão vem da abundância de pedra-pomes de dimensão centimétrica no solo proveniente daquela rocha, este, pelos seus grãos grosseiros, era conhecido por solão.

3 comentários:

Grifo disse...

Fui á actividade do Monte da Guia... E encontrei enquanto cavava o canavial encontrei amostras de rochas com as tais ervilhas... xD já não me lembro do nome. Tenho duas em casa...

Choveu na Guia... :P

geocrusoe disse...

A forma em si, quando da dimensão de ervilhas, é denominada de pisólito, quando menor que 2 mm a forma é designada por oólito. Todavia estes nomes aplicam-se essencialmente a rochas sedimentares. No tufo vulcânico quando estudava aprendi a designar tufo acrecionário à rocha constituída por aquelas estruturas que se chamavam "lapilli de acrecção" todavia já ouvi chamar também de pisólitos nas rochas de cinzas, em inglês é "pisolitic tuff". esta confusão é típica de um país que não sabe muito bem traduzir os termos técnicos e por isso aparecem traduções diferentes em função dos autores. Eu chamo pisólito às esferas em forma de ervilha ou "lapilli de acrecção" e gosto mais da primeira opção.

Grifo disse...

:P a 1ª é mais original... xD

As ervilhas maiores são de +/- 1 cm de de largura, mas também existem umas de 1 mm
é giro porque dá para ver as diferentes camadas de quando choveu ou não... :P
na outra amostra choveu o tempo todo... xD praticamente o que faz diferenças de camadas é o tamanho das ervilhas :P
O que demonstra ou a menor quantidade de cinza que saia do vulcão ou gotas de água mais pequenas...