quinta-feira, 3 de abril de 2008

DELTAS LÁVICOS DO TRIÂNGULO - Lajes Pico

A ilha do Pico, pela sua jovialidade, na sua metade mais ocidental não tem arribas costeiras com alturas significativas, por isso, nesta área, as númerosas escoadas lávicas chegam ao mar e cobrem completamente a zona de costa antiga, não permitindo a formação de fajãs.
Todavia, a parte oriental, com um núcleo mais antigo, já apresenta algumas arribas com grandes desníveis e várias fajãs. Entre estas, apesar da sua dimensão não ser muito grande, encontra-se o delta lávico onde se instalou a primeira vila e concelho da ilha: Lajes do Pico.

(clique na foto para a ampliar)

Este delta tem, na sua frente exposta ao mar, uma plataforma de abrasão marinha, que resulta da acção erosiva das ondas, que criou uma superfície aplanada a uma cota próxima da do nível do mar.
Devido à reduzida largura desta fajã, a sua pequena altitude e ao facto de não existir nenhuma ilha mais meridional que perturbe a ondulação vinda do alto mar, em caso de grandes tempestades com ondulação proveniente do quadrante entre sul e sudoeste a vila das Lajes do Pico fica sujeita a galgamentos marítimos, como se pode ver na magnífica foto publicada num dos posts do blog Castelete Sempre.



A vila das Lajes do Pico está limitada a norte por uma arriba fóssil, que embora não sendo muito alta, impediu a expansão do aglomerado populacional para o interior da ilha a partir desta estreita faixa costeira.


Um pormenor da arriba fóssil, onde a vontade e a necessidade dos homens obrigou a escavar socalcos para aproveitar ao máximo todas os terrenos disponíveis, apesar das inclinações desfavoráveis evidentes na foto.

5 comentários:

Paulo Pereira disse...

Parabéns pelo post. Penso que os hóteis, postos de turismo locais e escolas deviam ter estas informações em livro ou em desdobráveis para divulgar aos turistas e demais interessados a nossa riqueza em geodiversidade.

geocrusoe disse...

ao paulo pereira
penso que alguém já pensou em começar-se a valorizar o nosso património geológico e dá-lo a conhecer aos nossos visitantes, mas ainda não se avançou verdadeiramente na área, existem pelo menos pessoas interessadas nisso e com o tempo acredito que tal acontecerá de facto.
Nas escolas julgo que tal pode ser incentivado pelos professores dos grupos de ciências e pode ser um assunto importante ao nível do projecto de escolas ou do dia da disciplina...

Paulo Pereira disse...

Carlos, como postas a imagem, para ao clicarmos nesta, ela ampliar?

Paulo Pereira disse...

Carlos, como postas a imagem, para ao clicarmos nesta, ela ampliar?

geocrusoe disse...

ao paulo pereira
não há nada de especial, tens de ter um original com dimensão grande e sem compressão quando fazes o upload. Quando fazes o upload seleccionas o formato grande e ele vai redimensionarte o imagem para caber no post e dar-te a possibilidade de o abrires. Penso que é tudo.