terça-feira, 1 de junho de 2010

CURIOSIDADES: Obras do Porto da Horta

Já ouvi pessoas a se interrogarem do porquê daqueles pequenos barcos sempre à frente do novo molhe em construção da baía norte do porto da Horta.
Antes destas obras, uma equipa de arqueologia subaquática sondou toda a baía para a detecção de património arqueológico submerso ou não fosse esta uma zona de passagem dos navios entre Lisboa e os territórios do Antigo Império Português dispersos pelos vários continentes.
Presentemente, todo o local de implantação do molhe é rastreado com maior pormenor para detectar algum achado arqueológico, recolhê-lo e encaminhá-lo para local adequado.
Até ao momento, tal como já no passado foi noticiado nos jornais locais, as buscas não foram em vão.

8 comentários:

Pedrita disse...

minha irmã vai adorar essa notícia. hj é muito raro encontrar artigos arqueológicos já q há pouco o q explorar. beijos, pedrita

olhodopombo disse...

Ola, eu estou estudando Museologia e atualmente andamos nos sitios arqueologicos europeus, de forma virtual, pesquisando a Arte do Periodo Paleolitico Superior, a minha especialização esta sendo na arte parietal, e fiquei maravilhada com O Vale do Coa.
Quem me apresentou seu blog foi a Pedrita do Mata Hari...
obrigada....

geocrusoe disse...

@ olhodopombo
Bem-vinda. Contudo nesta acção de prospecção arqueológica não deverão encontrar peças do período paleolítico superior, nem neolítico, pois seria necessário reformular os livos de história caso algum achado recuasse para além do século XV.

geocrusoe disse...

@ Pedrita
Mas ao nível subaquático as costas dos Açores são ricas em vestígios arqueológicos, por a Horta e Angra terem sido portos de abrigo e de abastecimento dos navios nas rota das descobertas e do comércio marítimo dos vários impérios Europeus.

Café Puro disse...

continuo a achar que esta solução para o porto da Horta não foi a melhor...
A operacionalidade e integridade do novo molhe não será famosa com tempo de Sul/Sudeste (maior parte dos dias),
limita a operacionalidade da bacia já existente.
O impacte ambiental é questionável.
A longo prazo os fluxos subaquáticos de inertes pode provocar alteração profunda e imprevisível dos fundos da baía.
O custo benefício é questionável...sendo que com um custo superior em menos de 10% do total desta obra, seria possível outra solução de benefício bem maior.

geocrusoe disse...

A discussão do projecto do porto tem outros espaços próprios para a discussão sem ser neste blogue.
Aqui, apenas coloquei uma fotografia de barcos e falei do levantamento arqueológico efectuado por eles.

Rui Seu Amigo Locutor! disse...

Não tenho conhecimento desta causa,só qostaria de dizer que o lugar é lindo,que é um sonho, que eu sonho em conhecer.Epero que continue lindo.Que não destruam nada.Um abraço a todos os irmãos portugueses.

Anónimo disse...

Sobre a obra em questão (e mirabolantes peripécias...), um blogue com origem Micaelense fez uma abordagem interessante, utilizando inclusive algumas imagens conhecidades da blogosfera Faialense:

http://cruzeirospdl.blogspot.com/2010/06/1-fase-da-requalificacao-do-porto-da.html

É que nos meios de comunicação social, isto continua a ser tabú...
Aconselho a leitura!