terça-feira, 15 de julho de 2008

GEOMONUMENTOS DOS AÇORES: National Geographic

Reconhecidamente, a revista National Geographic, inclusive a sua versão portuguesa, não necessita de publicidade, mas mais uma vez chegou-me às mãos uma publicação para divulgação, precisamente a última edição desta revista, Julho de 2008, por apresentar um trabalho especial sobre a geologia do Açores.
Trata-se de um suplemento desdobrável entitulado "Geomonumentos dos Açores, descodificar e proteger a paisagem", onde são apresentadas e explicadas, de uma forma simples, várias estruturas geológicas que se podem encontrar nas várias ilhas deste arquipélago.
O folheto não é exaustivo, mas apresenta uma selecção significativa destes Geomonumentos, mostra a geodiversidade desta região de uma forma interessante e o enquadramento geotectónico dos Açores a nível planetário.

O destacável vai mais além dos geomonumentos. Procura caracterizar os vários tipos de erupções que formaram os Açores e o próprio aparecimento destas ilhas no contexto de "deriva" dos continentes.
Apresentando ainda publicamente, julgo que em primeira mão, a nova rede de áreas protegidas dos Açores, que neste momento já se encontra em aprovação no Parlamento da Região Autónoma dos Açores.
A aquisição desta edição com este suplemento é mais uma oportunidade de todos os interessados, no ambiente, na vulcanologia e na geologia dos Açores, conhecerem um pouco mais destas ilhas, bem como alguns modelos explicativos sobre a sua génese e enquadramento tectónico do arquipélago.

7 comentários:

Pedrita disse...

essa revista é sempre belissimamente impecável. beijos, pedrita

nanda disse...

Olá,

Estes últimas semanas foram de imenso trabalho. Incrível! Nem há alunos...Pois é.

Este mês e o próximo serão repartidos entre o Pico e o Faial.

A mudança só nos fins de Agosto e a ligação ao Pico, vai continuar, verifico que é forte, 28 anos de vida aqui...

ematejoca disse...

Ás vezes compro a revista National Geographic, está claro em alemao.
È muito interessante e toda a família a le.
Vou ver se encontro essa aqui.

Boa noite!

geocrusoe disse...

pedrita
concordo lindas fotos, boas reportagens e boa qualidade gráfica.

nanda
mais uma pessoa que vai ficar com o dilema de estar ligada a duas terras, ao menos estas estão de tal forma próximas que deve ser fácil gerir as saudades.

ematejoca
deve ser difícil estar à venda a edição portuguesa aí, por norma, as versões com distribuição supra-nacional são em inglês ou francês. Não assino a revista, mas quando a folheio vejo óptimas reportagens com divulgação científica e sobre estilos de vida e paisagens de paraísos distantes.

Maria do Carmo Cruz disse...

Geocrusoe, acabo de escrever nos blogues da Pedrita e dos Incansáveis, portanto, não te admires se ficar escrevendo em brasileiro. Ainda bem que deste esta notícia porque daqui a pouco vou ao jornaleiro (!) e ele costuma ter os números especiais e até me fala muito neles.
Estou desconsolada, porque o ortopedista me proibiu de ir a Londres (partiria amanhã) e assim vou viar geologicamente até aos Açores... Um abarço da Avó Pirueta. Sempre grata pelo teu belo blogue.

geocrusoe disse...

É pena, pois Londres tem sempre alguma coisa interessante para se descobir, espero que ao menos no desdobrável e nos livros encontre algo que parcialmente compense... na totalidade sei que será impossível.

Fernando Martins disse...

Caro amigo: o Blog Geopedrados (re)publicou este seu post, indicando a origem...