quinta-feira, 24 de janeiro de 2008

Estruturas e Instituições Culturais no Faial 2 - O CINECLUBE DA HORTA

O Cineclube da Horta faz hoje 5 anos e por isso: PARABÉNS!
O Cineclube da Horta é uma consequência da evolução cultural no interior da sociedade faialense, procura não só satisfazer aqueles que não se limitam a ver a componente lúdica do cinema, embora não a exclua, como também ser uma instituição onde se discutem ideias e se mostram caminhos estéticos alternativos, além de promover a formação nas artes cinematográficas e o estabelecimento de intercâmbios com instituições locais e externas para desenvolver actividades culturais de qualidade.

A Direcção do Cineclube da Horta é composta por pessoas que não ficam a aguardar que as instituições oficiais organizem eventos culturais. Estas, arregaçam as mangas, idealizam acções e procuram os meios, económicos e instititucionais, para tornar realidade os seus projectos. Assim, além da exibição semanal de filmes no Teatro Faialense e de acções de formação, é de destacar a idealização e organização do Festival de Curtas Metragens Faialense: Faial Filmes Fest.

O Faial Filmes Fest começou pequeno, sobretudo com aprendizes locais de cinema e seus professores, transbordou para o âmbito nacional, onde já é uma referência no seu género e, se tal for possível, sonha dar passos cada vez maiores. Hoje consegue cativar grande número de jovens para a apresentação de trabalhos, despertar um público local sedento de ver as obras dos seus conterrâneos e trazer órgãos de comunicação social de âmbito local, regional e mesmo nacional.
Entre as obras concorrentes, produzidas localmente e não só, existem vencedores de outros concursos de referência, mostrando a qualidade do que aqui de apresenta.

Momento da exibição do filme de Dziga Vertov (fonte: homepage do Cineclube da Horta)

O último Faial Filmes Fest terminou em beleza com a exibição do filme histórico "O homem da câmara de filmar" de Dziga Vertov, com música ao vivo, tocada por professores do Conservatório de Angra do Heroísmo e composta pelo picoense Antero Ávila, mostrando como é possível os vários campos da cultura e ilhas desenvolverem projectos conjuntos.
Por tudo isto, numa instituição discreta, que só agora completa meia década e com um número limitado de sócios, é caso para se louvar a dinâmica deste Cineclube e dizer: Parabéns pelo Aniversário e pela Obra até hoje realizada!

3 comentários:

serebelo disse...

Parabéns também deste lado do Atlântico! Muito e bom cinema vi eu graças ao Cineclube. Abraço.

geocrusoe disse...

ao serebelo
e eu testemunhei, mas aparece por cá sempre que quiseres, sabes que és bem-vindo.

Pedrita disse...

toda iniciativa de difundir a cultura é válida. beijos, pedrita