sexta-feira, 14 de setembro de 2007

HISTÓRIA GEOLÓGICA DO FAIAL VI - Complexo Vulcânico do Capelo

Ninguém sabe bem quando, mas o vulcão dos Cedros já andava nos seus arrufos altamente intempestivos e a Caldeira em grande parte formada, quando nos últimos milhares de anos, 2000, 3000 anos, talvez um pouco mais, não se sabe bem, mas eis que a partir de uma grande falha situada a Oeste da Caldeira começou a sair lava, e assim surgiu um vulcão monogenético, provavelmente com uma chaminé alongada numa fissura, alguns anos depois outro vulcão e a seguir muitos mais e todos alinhadinhos como numa parada.


Vários cones alinhados visto de Leste para Oeste na região da Caldeira.


Uns localizaram-se no mar, outros em terra, uns no extremo ocidental da ilha e fizeram-na crescer um pouco para o lado das Flores, outros mais para leste e alargaram aquela ponta comprida de ilha que vai do Capelo até à Caldeira. Todos monogenéticos, todos situados sobre a mesma falha de direcção quase Este-Oeste, embora ligeiramente desviada para Noroeste, deles sairam escoadas lávicas de composição basáltica. Uns em terra produziram bagacina, outros no mar geraram muita cinza vulcânica e em conjunto formaram a Península do Capelo, onde assentam as freguesias do Capelo e da Praia do Norte, à soma das rochas por eles formadas chamam os geólogos o Complexo Vulcânico do Capelo, o capítulo mais jovem da construção do ilha do Faial.

Vários cones alinhados vistos de Oeste para Leste, ao fundo o bordo da Caldeira
Foto proveniente do blog amigo Na Rota das Hortências, com quem Geocrusoe se orgulha de cooperar


Depois do homem chegar à ilha e povoar o Faial, esta falha e este alinhamento mostrou mais de que uma vez que ainda estava vivo, mas isso fica para outros posts.

1 comentário:

Lc disse...

Faço das tuas palavras as minhas.