terça-feira, 5 de junho de 2007

5 de Junho - DIA MUNDIAL DO AMBIENTE

Apesar da minha actividade profissional, não me sinto um ecologista que considera tudo à sua volta mais importante que o Homem e onde este é um bicho mau que estraga este planeta.
Sempre adorei livros cientificamente arrojados e potencialmente polémicos, dois livros marcaram a minha consciência ambiental, porque me levaram a ver o Homem não como o mau da fita, mas sim a vítima dos seus actos irreflectidos, fruto da ganância económica neste mundo consumista e altamente industrializado que a inconsciência e a ignorância humana criaram, assim para questionar consciências neste Dia Mundial do Ambiente, aqui vão eles.


Este, polémico no mundo científico, onde, com o modelo do Planeta das Margaridas, James Lovelock considera a Terra como um ser vivo, que reage sempre que as condições são alteradas em busca de um novo equilíbrio e do qual podem resultar como vítimas os agentes da mudança.

Para muitos a sua teoria é criticada por utilizar na ciência conceitos teológicos e de pre-determinismo, por atribuir intenções à natureza. Para mim valeu porque me mostrou o homem de hoje ao nível das primitivas cianobactérias, que foram vítimas da sua própria actividade, o que conduziu à "Catástrofe do Oxigénio" e permitiu o aparecimento da vida nos moldes actuais, onde se insere o Homem com a sua provável catástrofe dos gases com efeito estufa.


Um manifesto político de Al Gore lançado antes de ter sido Vice-Presidente dos Estados Unidos. Tem a vantagem de apresentar aos políticos do primeiro mundo propostas para se alcançar um equilíbrio entre o desenvolvimento económico e o ambiente. É certo que quando ocupou o seu cargo mais elevado não foi capaz de tanto... mas ao menos não foi um obstáculo ao ambiente, como alguns líderes mundiais actuais o são. Presentemente, voltou às suas raizes, provando que nem sempre temos de renunciar aos ideiais para ter sucesso planetário.



Um desafio neste Dia do Ambiente, qual ou quais o(s) livros que moldaram a sua consciência ambiental?

3 comentários:

Ecoteca do Faial disse...

Carlos, temos cá alguma leitura sobre os temas. Tenho também o documentário do Al Gore se te interessar ver.
Abraço!

geocrusoe disse...

Obrigado por teres vindo, efectivamente estou interessado no documentário, qualquer dia falamos sobre isso. Bons encontros de Porto Pim

Carlos F.C.C. disse...

Geocrusoe, devo dizer que neste momento estou a ler o livro do sr. Al Gore, edição de 1993, e que estou a gostar imenso, é uma leitura facil e que nos faz perguntar actualmente o porque deste "impasse"(sabemos que não é bem um impasse, o CO2 está a aumentar), os lideres mundiais muito pouco fazem para diminuir o problema.
Para a maior parte das pessoas o problema é que não têem a consciencia de que podem fazer a diferença, e é tão simples, basta pensar no que queremos deixar para os nossos filhos, ou então no que queremos viver, se no meio do lixo, ou como a reciclagem promete, num meio ambiente sustentavel.
Depois de algumas outras leituras e de ter visto o filme "Uma verdade Inconveniente" do sr. Al Gore, tenho a certeza de que posso fazer a diferença, ao não deitar lixo para o chão, ao não destruir a natureza, ao sensibilizar os mais jovens, e influenciar os adultos. Tudo isto faz a diferença, e tal como a publicidade á reciclagem: "um pequeno gesto hoje irá fazer a diferença amanhã."
A diferença está em que se nos empenhar-mos minimamente, o mundo pode mesmo mudar, eu acredito que as crianças (educadas e orientadas) de hoje irão sem dúvida cuidar para que o mundo de amanhã seja melhor.
O que posso dizer, se não houver esperança...

Quanto ao livro que mais me marcou, foi o livro "Sobre a Terra - Um guia para quem lê e escreve sobre ambiente" do sr. Ricardo Garcia, jornalista ambiental do Público.
Fantástico, toda a gente o devia ler.