sábado, 23 de abril de 2016

Dia Mundial do Livro - As leituras preferidas do último ano

Ao longo dos últimos anos este blog tem comemorado o Dia Mundial do Livro com a apresentação de uma seleção das obras que mais me marcaram desde a anterior celebração deste dia comemorativo, considerando várias categorias classificativas, nem sempre precisamente iguais. Estes últimos 12 meses foram férteis no número de obras lidas: 53, só no domínio da ficção que são as abordadas em Geocrusoé, pois outras temáticas são tratadas noutros espaços.
A escolha não foi fácil, até porque nalgumas categorias apetecia-me colocar duas obras ex-aequo, mas no fim resisti e optei sempre por uma e aí vão e sem dúvida que alguns frequentadores de Geocrusoé poderão ser de facto surpreendidos.

Romance Nacional
"A Ilustre Casa de Ramires" de Eça de Queirós


Gostei de vários livros de ficção portuguesa, mas, em termos de envergadura de conteúdo e qualidade literária, para mim dois livros se destacaram, "A alma dos ricos" e "A ilustre casa de Ramires" de Eça de Queirós, como no ano passado já destacara um obra densa de Agustina Bessa-Luís, a escolha recaiu desta vez no outro autor de renome internacional de Portugal.


Romance original em língua estrangeira
"Sombras Queimadas" de Kamile Shamsie


Não foi fácil a escolha, mas por fim recaiu sobre "Sombras Queimadas", uma excelente obra, escrita por uma paquistanesa, um romance que se inicia em Nagasaki no dia da bomba nuclear e estende-se até o pós 11 de setembro de 2001, passando por vários países asiáticos e chega aos EUA, tornando-se num magnífico relato do que foram os maiores conflitos mundiais das últimas décadas e mostra de forma neutral o desentendimento entre o ocidente e o mundo islâmico. Tudo isto narrado de uma forma cheia de ternura e paz, falar pacificamente de guerra penso que só seria mesmo possível com uma protagonista japonesa e foi o que Kamila Shamsie fez. A melhor surpresa da literatura contemporânea deste 12 meses.

Clássicos da literatura ocidental
"Anna Karénina" de Lev Tolstoi



Aqui também houve algumas dúvidas, apesar de Dostoiévski me ter marcado fortemente com duas obras, nos clássicos aquela que considero mais completa, rica de conteúdo dramático, mensagem e qualidade literária foi mesmo "Ana Karénina" de Lev Tolstoi e já é a segunda vez, não consecutiva, que atribuo este lugar a este escritor russo, país com o qual nutro uma grande empatia literária ao nível de obras literárias do século XIX.

Literatura lusófona
"O Tempo e o Vento" de Érico Veríssimo (10/10) -


Confesso que hesitei muito com outra grande obra, mas "O tempo e o Vento" foi selecionado pela sua maior facilidade de leitura cheia de qualidade literária, a sua informação histórica sobre o Rio Grande do Sul e a divulgação da influência dos Açorianos no povoamento e cultura deste Estado do Brasil numa magnífica saga familiar. Sem dúvida que a alternativa em termos de riqueza literária é um monumento ímpar: "Grande Sertão Veredas", de Guimarães Rosa, mas parte do seu valor resulta da transposição do sertanejo para e literatura e esta traz dificuldades de leitura e em termos de divulgação este blogue teve em conta o leitor menos habituado a vencer um leitura difícil pela escrita, mas pela sua importância não podia deixar de o citar nesta alternativa.

Literatura Canadiana
"Murther & Walkings Spirits" de Robertson Davies



Robertson Davies é um dos escritores do Canadá mais importantes do século XX e do qual gostei  de tudo o que li, "Murther & Walking Spirits" talvez não seja a minha obra predileta dele, mas mesmo assim gostei e aprendi algo sobre a história da América do Norte e mostra as raízes imigratórias dos Canada, como foi a única que li nestes meses da ficção canadiana e é interessante foi por isso listada.


9 comentários:

Belblioteca disse...

Que legal que está lendo Veríssimo. Também tenho muita vontade de ler "O Tempo e o Vento". O Romance em língua estrangeira também parece boa pedida. É sempre bom variar os países.

Carlos Faria disse...

Eu nasci no Canada por isso leio por vezes romances editados no meu País Natal.

Pedrita disse...

ah, que bacana. eu leio bem menos. mas adoro ficção. no dia do livro eu costumava aproveitar as promoções, mas há um ano que fico longe delas. a crise financeira aqui no brasil está brava. adorei a seleção, embora dois não tenha lido. eu adoro a isabel allende, amo ilha sob o mar. beijos, pedrita

ematejoca disse...

Anotei "Sombras Queimadas" de Kamile Shamsie e "Murther & Walking Spririts" de Robertson Daviesá muitos; os outros 3 romances já os li há muitos anos — fabulosa literatura.

Carlos Faria disse...

De Robertson Davies o meu favorito é "What's bred in the bone" o segundo romance da trilogia Cornish, embora a trilogia Deptford me pareça mais equilibrada ao nível dos 3 livros.

Denise disse...

«Anna Karenina» é um dos meus livros preferidos de sempre. As restantes escolhas são muito interessantes. O de Eça de Queirós está na lista!

Boas leituras!

Carlos Faria disse...

Sombras queimadas foi um livro que comprei numa feira a preço de saldo, interessou-me o tema mas não tinha grandes perspetivas na obra e depois deslumbrou-me.

DIARIOS IONAH disse...

Eu adoro Eça de Queiros e estou para reler "Os Maias" e "As cidades e as Serras".Também gosto de Ana Karenina. Não conheço a escritora paquistanesa.Fiquei curiosa! Adoro os escritores russos.

Carlos Faria disse...

Pois este foi o único livro que li desta escritora paquistanesa e foi uma surpresa muito positiva.