quarta-feira, 5 de novembro de 2008

POETAS E POEMAS ESCOLHIDOS III - Paulo Freitas

Imagem tirada daqui

Nasci assim lagarta rastejante,
que anda de flor em flor, que anda a chorar.
Nasci em prol da terra e não do ar,
vivendo em forma triste e humilhante.

E por breves momentos, um instante,
vi na luz de um orvalho, a baloiçar
airosa borboleta, a crepitar
em céu de luz ardente e delirante.

Assim, nasci lagarta por engano,
em seu casulo presa tristemente...
sem asas, rastejando sem prazer.

Postos olhos ao alto causam dano,
por ser de outro lugar: é penitente
de malfadada sorte, em seu viver!

Paulo Freitas in Vaidades de Março (1999)

10 comentários:

Pedrita disse...

adorei o poema. beijos, pedrita

nanda disse...

Não gosto nada de lagartas, nem de animais rastejantes. Coitados!

Grifo disse...

gostei do poema, mostra muito sentimento.

geocrusoe disse...

pedrita
ele tem outros também interessantes, apesar de não ser um poeta conhecido.

nanda
pelos vistos o paulo também não gosta, caso contrário não se sentiria então penitente de malfadada sorte como lagarta rastejante... mas olhe que apesar do crepitar da airosa borboleta, no poema sobre ela o futuro não lhe foi favorável também ;-) mas esse fica para outra data...

ao grifo
sim o paulo foi sempre uma pessoa de grande sensibilidade e gosto dos poemas dele e dele mesmo, apesar de já não viver aqui na ribeirinha

JCARLOS disse...

pois cedo se percebeu que era e é uma alma que precisava de maiores desafios...

ematejoca disse...

Esta manha estive aqui a ler o poema. Nao sei quem é este poeta, mas penso que é de uma geracao moderna e oriundo dos Acores.
Gostava de saber mais alguma coisa sobre o Paulo Freitas.

O geocruseo tem sempre muito a ver com a tradicao; nao pode pode dizer, como é que se festeja o Sao Martinho aí. Aqui, é uma semana de festejos. Veja mais tarde, por favor, o "ematejoca". Agora nao tenho tempo de completar, tenho que sair, vou festejar o Sao Martinho!

José Quintela Soares disse...

Não conhecia.
E gostei.
Obrigado.

geocrusoe disse...

ao jcarlos
concordo parcialmente contigo... sou de opinião que as pessoas devem ir para onde se sentem bem quando novas e aí deitar raízes e crescer, é o que espero que aconteça ao paulo, pois tem potencial para isso.

à ematejoca
é mesmo jovem, residiu aqui na freguesia onde moro, ainda a anda tactear ao dar os seus passos de descoberta e afirmação no mundo. neste momento é animador cultural e social em angra do heroísmo e nas horas livres faz teatro... talvez haja mais mas não o tenho visto ultimamente para ter mais informações.

ao josé quintela
eu gosto dos dois livros dele, mas são quase edições de autor e ainda caseiras... pode ser que cresça, julgo que tem potencialidades para isso e faço votos para que consiga singrar nos seus objectivos no mundo da cultura.

LB disse...

Só sabia do primeiro livro, mas não conhecia o poema. Gosto particularmente do verso "Assim, nasci lagarta por engano", que me parece um pouco revelador da alma do poeta...

geocrusoe disse...

Exactamente essa frase foi uma das que mais me tocou no poema... esta desilusão e vontade de ser borboleta... que não teve boa sorte no respectivo poema, mas isso fica para outra data