sexta-feira, 28 de novembro de 2008

LISBOA: Fundação Gulbenkian

A cultura em Lisboa hoje não seria o que é sem a Fundação Calouste Gulbenkian.

Foto de Osvaldo Gago, proveniente e nas condições descritas daqui

Numa cidade capital de uma nação, onde a cultura erudita e a formação intelectual não são valorizadas como em muitos outros países europeus, Lisboa oferece aos seus residentes e visitantes concertos, espectáculos de dança, exposições, colecções de arte e livros técnicos, para já não falar de bolsas de formação em artes e ciências, a um nível muito acima do que seria normal esperar com o apoio institucional e o mecenato cultural frequentemente disponível nesta terra. A grande responsável por este "empolamento" cultural em Lisboa, face à situação real do país, é a Fundação Calouste Gulbenkian.

Graças a ela e quando estudante, época em que o dinheiro especialmente escasseia, assisti a grandes concertos, interpretados pela sua própria orquestra ou outras; vi grandes intérpretes vindos do exterior, os bailados do Olga Roriz e o trabalho de Vasco Wellenkamp, conheci a obra de Amadeo de Souza Cardoso, a colecção Lalique, bem como muitas outras obras de arte e ainda consegui estudar em bibliografia científica de qualidade na língua de Camões.

Raramente venho a Lisboa, com tempo disponível, em que esta Fundação não tenha algo de interessante para me oferecer, desta vez não é excepção e aqui fica a minha homenagem a esta instituição.

9 comentários:

Pedrita disse...

que vontade de conhecer. e ficou belíssima a foto. está lindíssimo esse verde. beijos, pedrita

José Quintela Soares disse...

Durante muitos e muitos anos foi autêntico oásis num deserto.
"Ministério da Cultura" não oficial, era o único espaço onde se respirava Arte, sob variadas formas. E não esquecer as "bolsas" que proporcionou a muitos talentos, que sem elas não poderiam ter evoluido.
E ainda hoje, em que a oferta cultural de Lisboa evoluiu muito, é ali que podemos encontrar muita da "nata" que se vê em Portugal.

Grifo disse...

Nunca fui... mas espero ir ^^

Lc disse...

Bem, resta desejar umas excelentes férias, aproveita bem.
Um abraço.

maugastamanhas disse...

que diferença face a tantas fundações e serviços públicos que nós pagamos mas cujo resultado pouco se nota. Os detentores de fortunas, com consciência social e cívica, são um bem para todos, contrariamente ao que muitos pretendem fazer crer. Lembra-se aqui também o caso de Champallimaud, dedicando uma parte da sua fortuna à investigação cientifica na área médica.

geocrusoe disse...

à pedrita
vale a pena conhecer! aliás, se alguma vez vier a Lisboa, consulte previamente a página desta fundação, pode ter oportunidade de ver grandes intérpretes ou esperanças mundiais no mundo da música, mas se nada houver agendado, só os jardins e os museus já valem a pena a visita.

ao josé quintela
subscrevo tudo o que disse e importa esclarecer que esta instituição conseguiu este papel em tempo de ditadura e de democracia, sem se imiscuir na política.

ao grifo
quando tinha a tua idade também não conhecia... mas espero que consigas ver isto e muito mais, além de muitos outros sucessos pessoais.

ao lc
obrigado

ao maugastamanhas
sempre fui defensor da possibilidade das pessoas com trabalho, inteligência e honestidade progredirem na vida. Se depois disso colocarem os seus bens em prol da humanidade, melhor ainda, mostram que foram grandes homens.
Sou feliz suficiente com o que tenho, agradeço a Deus isso, e não tenho rancor contra os detentores de grandes fortunas, admiro ainda aqueles que sejam solidários com as pessoas.

Os Incansáveis disse...

Que delícia de post! Não sei porque, achava que a Fundação só publicava livros. Lembro-me de que, quando estudante de física, comprava livros da Fundação Calouste Gulbenkian pois eram mais baratos e em português, além dos títulos serem ótimos. A série sobre textos clássicos é muito boa. Quando for a Lisboa, lembrarei de visitá-la.
Denise

geocrusoe disse...

aos incansáveis
a fundação calouste gulbenkian é um império cultural, além de livros, tem um belo museu, centro de exposições, auditórios, uma grande orquestra sinfónica, já teve companhia de dança contemporânea, um belo jardim com espaços culturais, e promove muitos eventos em lisboa, para além de atribuir bolsas de estudo nas áreas das ciências e da cultura.

Ma-nao disse...

...e não esquecer a Biblioteca (especializada em Arte), onde estar, apenas, é um verdadeiro prazer! Nem é preciso querermos consultar alguma obra, só sentarmo-nos naquela sala de magníficas janelas sobre o lago e o jardim, já é em si propósito e fim suficiente. :)
Sem dúvida que a Gulbenkian, com os seus jardins, é um dos corações da "minha" Lisboa...