segunda-feira, 17 de novembro de 2008

OLHARES: O Faial visto do Pico

Pela proximidade, idade geológica, beleza, tradições, partilha genética, vivências culturais e intercâmbio económico, o Faial e o Pico são duas ilhas irmãs, que vivem numa simbiose perfeita, cuja compreensão da interdependência só se tornaria consciente a cada uma se, de repente, uma se sentisse privada da outra.

A ilha do Faial vista do Museu do Vinho na ilha do Pico. A Horta à esquerda e a Ribeirinha à direita. (clique para ampliar)

Como duas irmãs que à primeira vista parecem tão diferentes e desavindas, mas que não se lembram de ter vivido em separado, julgam-se independentes e convencem-se de que os seus males vem dos defeitos da outra e acreditam na sua auto-suficiência, mas inconscientemente amam-se sem saber.
Todavia,  quando a ameaça vem de fora, eis que os laços de sangue, que unem qualquer família, apertam-se com todas as forças e nunca vi um Faialense e Picoense em terra estranha que não se sentissem conterrâneos do mesmo naco de rochas saído mar. 

10 comentários:

ematejoca disse...

A fotografia ampliada é lindíssima.
Todavia foram as suas palavras sobre estas duas irmaes, que se amam e odeiam, que me encheu as medidas. Dava um magnífico início para uma história... ou mesmo um romance.

Saudacoes outonais de D´dorf!

Patriota d'uns actos disse...

Caro sr Geocrusoe, irra que nome, porque não muda para Josuè Crúzio, concordo plenamente com ematejoca - este sim, um nome muito comum.
Este tema dava não só uma bela história, como inté um belo libreto.
Receba, desde já, os meus comprimentos bem grandes, daqui para esse outro lado do canal.

Periquito disse...

Já não sei o que mais bonito:
- Se o Pico visto do Faial ou a ilha azul vista da ilha montanha.
E parece que a distância do Pico para o Faial parece menor que em sentido contrário?
Este escrito está soberbo!
Posso utilizá-lo para outros fins?
Divulgando é claro o seu autor.

LB disse...

Lindo texto, recheado de nobres sentimentos e valores familiares. Gostei particularmente do fecho, com aquele "naco de rochas saído do mar". Perfeito!

nanda disse...

Embora o Homem não queira, estas ilhas tem alma gémea, completam-se numa harmonia de beleza e subsistência.

geocrusoe disse...

à ematejoca
recentemente também realizadores de cinema disseram que estas terras dariam óptimos filmes e eu acrescento que a luta das suas gentes também, vai tudo no mesmo sentido.

ao patriota d'uns actos
o nome tem raiz etimológica e cultural, além duma tradição entre amigos geólogos, tem uma mensagem que se deduz do cabeçalho do blog, independentemente da sua facilidade ou não e se pronunciar que é diferentemente em portugal ou no canada e usa...

ao periquito
em tudo o que este blog for útil às pessoas, podem sempre utilizá-lo para boas causas.

ao lb
geomorfologicamente o faial e o pico fazem parte de uma grande estrutura única e daí surgiu a ideia...

à nanda
apesar das minhas relações intensas com são jorge, reconheço esta geminação perfeita entre o faial e o pico

Grifo disse...

São duas ilhas, duas irmãs. que se unem no canal... mas hoje estão zangadas porque está "mau tempo no canal" xD

O Faial e o Pico acredito que um dia serão um só (espero que seja daqui a muito tempo para bem da horta etc...

Mas as duas ilhas irmãs na altura da descoberta das ilhas pensavam que eram a mesma ilha... só depois os descobridores viram o canal...

maugastamanhas disse...

Reza a lenda que o primeiro capitão do donatário da ilha, Josse van Huertere, estava a lavar a fronha à janela, quando, ao levantar do nevoeiro (ou bruma ...) deparou-se milagrosamente com o colossal Pico (deve ter sido uma aparição à la Vergílio Ferreira) ...
São uma espécie de gémeas siamesas ... que a Natureza, por enquanto, não deixa que se separem ... E ainda não houve um "cirurgião" que o conseguisse, apesar do esforço ...

Valter Medeiros disse...

Caro maugastamanhas: realmente é isso que reza a lenda e que está nos registos históricos! e acrescento mais uma coisa: este episódio terá ocorrido 9 anos depois de van Huertere se ter instalado na ilha do Faial!
Agora caros amigos Picarotos e Faialenses, digam-me lá: Quantas vezes nas vossas vidas passaram 9 anos (vivendo cá claro) sem ver o Pico descoberto?
Pensem nisto!
Esta será (talvez) a causa do bairrísmo desnecessário que existe entre estas duas ilhas tão próximas. O Pico foi uma das ilhas mais difíceis de povoar, devido à sua morfologia e à escassez de água e terrenos difíceis de trabalhar, tão difícil que o primeiro capitão-donatário desta ilha (Álvaro de Ornelas) nem quis tomar posse dela, tendo ficado a capitania do Faial responsável pelo Pico.

Parabéns colega Geocrusoe por mais um excelente post

geocrusoe disse...

ao valter medeiros
aparece sempre que quiseres e o teu comentário está cheio de referências a alguém que lê as coisas para se formar e com suficiente espírito crítico para desenvolver a sua forma de ver o mundo. Parabéns!