segunda-feira, 12 de maio de 2008

Segunda-feira de Pentecostes - DIA DOS AÇORES

A Segunda-feira de Pentecostes coincide com o Feriado da Região Autónoma dos Açores para a celebração do DIA DOS AÇORES, talvez o único feriado de origem civil em Portugal com uma data móvel função de um calendário religioso, contudo a importância dos festejos em louvor do Espírito Santo em todas as ilhas justificam a escolha deste dia para a identidade da região, cultura e povo Açoriano.
Brasão da Região Autónoma dos Açores.

Três décadas de autonomia, muito foi realizado em virtude desta realidade político-administrativa do arquipélago dos Açores, nomeadamente a identidade de todas a ilhas como parte de uma única região, mas muito ainda há por conseguir, como a confiança de que o desenvolvimento regional considera de modo igual cada uma das suas parcelas ou que o progresso de uma ilha não se faz em luta contra outra.

Bandeira oficial da região autónoma dos Açores.

O princípio da subsidariedade e da solidariedade, tantas vezes reivindicado pela administração regional perante a República Portuguesa ou Departamentos da União Europeia, tem de se fazer sentir também dentro desta realidade arquipelágica, pois embora se reconheça que nem todas as ilhas têm iguais potenciais de desenvolvimento, compete aos governantes regionais implementar políticas que garantam internamente a subsidariedade e a solidariedade de todos os açorianos, de modo a assegurar-se um futuro melhor para todos e uma região que, apesar de dispersa, em todas as partes se goza os benefícios da autonomia de forma justa.

2 comentários:

Fernando Vasconcelos disse...

Fiquei intrigado com o brazão. Porquê a ave repetida no interior do escudo no topo e na "bandeira" ?
As estrelas em volta do escudo suponho que são as 9 ilhas mas o que significam os ornamentos azuis por cima do escudo?

geocrusoe disse...

ao fernando vasconcelos
não sou perito em heráldica, mas existem apenas duas repetições, um açor estilizado dentro do escudo (que julgo ser inseparável desta peça, que por vezes é individualizada do brazão e como tal não pertence ao brazão propriemente dito mas ao escudo) e o outro sobre o elmo, que pertence ao brazão.
Quanto às bandeiras aí do brazão eu percebo, como qualquer açoriano, numa tem a Cruz de Cristo e isso qualquer lusitano sabe e a outra tem o símbolo do Espírito Santo: uma pomba a irradiar luz.
As 9 estrelas são as 9 ilhas...
Ao longo da história dos açores a economia já se baseou no pastel, no trigo, na laranja e por fim na vaca, não sei se quando entrarmos noutros ciclo económico a vaca ir-se-á manter, porque é um simbolo de uma época e não de uma cultura, mas como disse: heráldica não é o meu forte.