quinta-feira, 24 de maio de 2007

FESTAS DO ESPÍRITO SANTO II - Estandarte

Tal como a coroa tem muito de símbolos do poder real e não há reino que não tenha a sua bandeira para hastear nos seus espaços ou um estandarte para os desfiles, também não à colectividade em honra do Divino Espírito Santo, que se chamam irmandades como a maioria das instituições religiosas em torno de uma devoção específica, que não tenha o seu Estandarte.

Os 3 estandartes em uso na Ribeirinha, montados para o cortejo religioso (clique se para ampliar foto)

Os Estandartes por norma são vermelhos, para representar o fogo, um símbolo do Espírito de Deus, já bem evidente na sarça ardente no tempo de Moisés e retomado na descida do Espirito Santo sobre os apóstolos encerrados com medo do judeus, como relata o livro dos Actos dos Apóstolos no Novo Testamento, onde Ele desce sobre a forma de línguas de fogo, 50 dias após a ressurreição (Pentecostes), data em que a Igreja sai à rua e inicia a evangelização dos povos. Também podem ser branco, símbolo da pureza do Espírito Divino.
Todos os estandartes têm uma pomba a representar o Espírito Santo, de onde frequentemente divergem vários raios de luz. Depois a decoração varia, sendo frequente a flor-de-lis (outro símbolo associado a realeza, por norma francesa) e línguas de fogo, cuja explicação consta acima.


Um estandarte na Ribeirinha com a maioria dos símbolos descritos e num momento de preparação do cortejo em 2006.
(clique para ampliar a foto)

1 comentário:

Rui Luís Lima disse...

olá!
obrigado pela visita ao nosso blogue de cinema, iremos passando por aqui:)
quando se fala de vulcões e cinema de imediato nos lembramos dessa obra-prima de Rossellini, "Viagem a Itália", com a Ingrid Bergman e o George Sanders.
um abraço e bom fim-de-semana
paula e rui lima