domingo, 20 de maio de 2007

DOMO TRAQUÍTICO de Castelo Branco I

Tal como uma sopa pode estar mais ou menos espessa em função dos ingredientes que lá são colocados. Também a lava que jorra de um vulcão pode ser fluída e escoar facilmente ou viscosa e acumular-se sobre a chaminé, tal como a pasta de dentes que fica junto à saída da bisnaga.
O magma viscoso (frequentemente de composição traquítica - quimicamente semelhante ao sienito referido no post "Vestígios da Atlântida?" - é muito mais rico em sílica, sódio e potássio do que o basalto). Nesta acumulação de lava forma-se uma estrutura que se chama DOMO TRAQUÍTICO, a qual se parece com a parte superior de uma rolha da garrafa de champanhe.
No Faial existem dois domos traquíticos, o mais conhecido é o Morro de Castelo Branco.

O Morro de Castelo Branco e o istmo que ainda o une ao Faial


O lado ocidental do Morro

Uma justificação deste domo ter o nome de Castelo Branco é a sua semelhança com as estruturas onde, por norma, se implantavam as fortaleza costeiras (castelo) e constituído por traquito, uma rocha de cor cinzenta clara(branco), que se destaca numa região de rochas vulcânicas escuras.
Pormenor do traquito de que é constituido o morro de Castelo Branco

4 comentários:

Lc disse...

Bem, aprendi muito ao ler estes post sobre um dos símbolos da minha freguesia.
Gostei muito, obrigado pela excelente descrição.

ematejoca disse...

Também aprendi muito ao ler este post.
A origem do nome "Castelo Branco" achei muito interessante.

Jorge Correia disse...

Bastante ilucidativo para "leigo" como eu nestas matérias que o visitou em Junho/2016. Complento muito importante à fraca informação prestada pelos postos de Turismo.

Carlos Faria disse...

Fico contente por um post já quase com uma década ainda ser útil aos visitantes a esta ilha.
Sim os folhetos turísticos por norma são muito sucintos em geologia, mas isso aumenta quando se sente que os turistas se manifestam por querer saber mais