quinta-feira, 11 de novembro de 2010

REMEMBRANCE DAY - POPPY DAY

Papoilas do Remembrance Day no Canada - foto de Benoit Aubry

11 de Novembro é o dia do armistício da I Grande Guerra. No Canada, à semelhança de muitos dos países da Europa, este é o dia para lembrar aqueles que caíram a defender os interesses da sua pátria, a muitos deles conseguimos os direitos, garantias e liberdades que hoje gozamos no Canada e nos países do velho continente.
O médico e poeta canadiano John McCrae na batalha da Flandres em Maio de 1915 viu morrer e assistiu ao funeral de um dos seus amigos compatriota, quando os campos estavam então cobertos de papoilas e escreveu o poema que se tornou, conjuntamente com a flor, num dos principais símbolos do Dia da Memória em todo o mundo Anglo-saxónico.

In Flanders fields the poppies blow
Between the crosses, row on row,
That mark our place; and in the sky
The larks, still bravely singing, fly
Scarce heard amid the guns below.

We are the Dead. Short days ago
We lived, felt dawn, saw sunset glow,
Loved and were loved, and now we lie,
In Flanders fields.

Take up our quarrel with the foe:
To you from failing hands we throw
The torch; be yours to hold it high.
If ye break faith with us who die
We shall not sleep, though poppies grow
In Flanders fields.

John McCrae não sobreviveu para ver a força das suas palavras, foi um dos médicos infectados por pneumonia naquela guerra no seu hospital de campanha e também recordado neste dia...

12 comentários:

Fernando Martins disse...

Já vi que tivemos os dois a mesma ideia - eu tinha o post publicado há muito tempo...

geocrusoe disse...

Eu lembro-me desse post e na altura pensei que no próximo Remembrance Day publicaria precisamente o tema em causa. Gostei muito do vídeo que estava no Geopedrados

geocrusoe disse...

Eu lembro-me desse post e na altura pensei que no próximo Remembrance Day publicaria precisamente o tema em causa. Gostei muito do vídeo que estava no Geopedrados

Miguel Bettencourt disse...

E aqui encontrei uma justa dedicatória a um dia simbólico, por parte de um canadiano de coração. ;)

geocrusoe disse...

Mas esta dedicatória tem também subjacente uma crítica ao meu país de sangue: em La Lys perdermos milhares de compatriotas e conheci gente que lutou em África por imposição do governo nacional... não me posso esquecer que deram o seu melhor por este pátria e provavelmente também crescem papoilas onde eles hoje estão.

Anónimo disse...

É nosso dever lembrar com estima aqueles que deram a sua vida pela nossa pátria.
Em La Lys, no Norte de Angola, nos pantanos da Guiné, nas matas de Moçambique e nas praias de Goa.
Precisamos de um dia para os lembrar.
Precisamos de uma placazinha com o seu nome, na paredes das nossas freguesias.
Um povo que esquece os seus herois nunca pode ser grande coisa.

geocrusoe disse...

Só para lhe dizer que na minha cidade natal, actual Cambridge On, as ruas onde moravam soldados que tombaram ao serviço do Canada estão marcadas por uma papoila na placa toponímica.
Diferenças que me fazer dizer "Proud to be Canadian"

Anónimo disse...

Parece que é vergonha ter um irmão, um primo ou um amigo, que morreu na Guiné pela sua pátria.
É fascista, é antiquado, é contraproducente nos dias que correm.

Há que remar contra isto.

É uma honra ter um filho, um amigo, um primo ou um irmão que deu a vida pelo seu país.

Não há um partido capaz de falar nisto.

Salve-se a causa monárquica, que sempre defendeu os valores do ´patriotismo português.
Afinal, D. Carlos e o filho, o principe Real D. Luis, também tombaram pela nação.

César João disse...

Coincidência ou não, também abateram o líder da máfia com oitenta e tal anos no Canadá.
A morte não justifica tudo, mas..enfim...

geocrusoe disse...

ao anónimo
A principal diferença entre o Canada e Portugal em termos de quem deu a vida pela pátria, é que lá o alistamento militar era voluntário e cá não. Mas estou plenamente de acordo que cá deveríamos ter a coragem de honrar aqueles que de uma forma ou outra tombaram ao serviço do País e há um longo caminho a percorrer.

@Cesar João
Não conhecia a notícia, mas já fui aos jornais do Canada ler o assunto. Foi num vendetta de um atirador, nada a ver com a defesa do país ou de um erro cometido pela RC Mounted Police, algo muito diferente dos veteranos canadianos cuja defesa dos interesses da pátria estavam em cima da mesa

ematejoca disse...

John McCrae e Paul Celan ~ dois poetas ligados às papoilas, ambos por causas bem tristes.

Não conhecia a poesia de John McCrae, mas gostava de a conhecer melhor, pois este poema é muito belo e comovente.

Combater, voluntàriamente ou não, é uma HORRÍVEL!!!

geocrusoe disse...

É normal que não conheça a projecção da literatura anglo-saxónica fazia-se através de Inglaterra e vários autores canadianos passaram para segundo plano por causa disso.
Natural da minha região natal foi sobretudo médico, mas compôs vários poemas sendo este o mais conhecido.