terça-feira, 23 de novembro de 2010

LISBOA - na capital sempre bela

Nestas férias a primeira paragem durante uns dias é em Lisboa. Cidade que me acolheu com chuva e nevoeiro, mas cuja parte castiça me deslumbra sempre, na qual nunca me canso de explorar e de descobrir recantos onde a tradição e a beleza se casam na perfeição.
É esta Lisboa antiga que faz parte da minha vida de estudante e das recordações do meu passado e que tem muito a dar a quem a visita, queiram os responsáveis pelo futuro desta terra aproveitar o seu potencial e criar condições para que os alfacinhas ali permaneçam a viver.

3 comentários:

Mar de Bem disse...

Primo, andas por cá? Tá de chuva, mas subtil.
Desta vez vais até onde?
Diverte-te e bjs
Margarida

Anónimo disse...

Criar condições em Lisboa, mas não esquecer que estamos aqui.

geocrusoe disse...

@Mar de Bem
Poderia dizer já aonde pretendo ir, mas há um post para dizer no dia da viagem e lá se ia a surpresa, mas não é muito longe e é seguramente uma cidade que qualquer artista gosta ir;)
Mas vou fica cá uns dias entre aqueles amigos que só nesta época vejo e a explorar a cidade velha, com chuva ou não.

@anónimo
Não sei se está na Lisboa antiga, mas sei que o concelho de Lisboa, ou seja a cidade, perdeu quase 40% da sua população nos últimos 25 anos e se tivermos em conta que houve muitas urbanizações fora da zona castiça, esta seguramente perdeu habitantes numa percentagem bem maior. É esta que eu desejo que haja condições para que os que lá estão queiram continuar a estar e talvez acolher outros.
Não me refiro à grande Lisboa que pelo contrário acolhe a sangria populacional das províncias do País, o que também não é saudável.