quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Lisboa, a passear em livrarias e lojas de música


Num dia sem transportes públicos, mas sem chuva, deu para passear e visitar várias livrarias e lojas de música e as primeiras despesas ou investimentos na cultura já aconteceram.
Continuo satisfeito com os projectos editoriais de publicarem em livros de bolso obras importantes a preços baixos, o que permite efectivamente um acesso muito mais vasto a grandes marcos de literatura nacional ou internacional sem os preços proibitivos do passado.
Igualmente me parece que esta democratização está a chegar à música erudita, aqui com a reedição de grandes gravações a preços convidativos.
Democratizar a cultura, não é só torná-la acessível nas montras, mas também e sobretudo aos bolsos de quem compra.

2 comentários:

Pedrita disse...

que delícia, adoraria conhecer lisboa, q dirá suas livrarias e suas lojas de música. beijos, pedrita

geocrusoe disse...

Não conheço S Paulo, mas em relação ao RJ, pelo menos as livrarias de Lisboa pareciam-me proporcionalmente maiores e mais abundantes.
Existem várias redes europeias aqui instaladas e as nacionais o que dá alguma diversidade.
As de música são mais pobres que nalgumas cidades europeias como Berlim e Roma e na música erudita são sobretudo cd e dvd importados.
Mas há uma zona (Chiado) com muitas livrarias concentradas, o que dá para visitar várias sem grandes deslocações.