quarta-feira, 5 de maio de 2010

PAIXÕES INCONVENIENTES

Quanto mais novas ouço do País onde vivo, da nação do meu sangue, cada vez mais me interrogo porque não optei pelo meu País natal e a que me sinto também tão intensamente ligado?

Depois vêm-me à mente estes vulcões, este mar, estas ilhas, estas paisagens, esta calma, esta língua que é a minha pátria e vejo as raízes que me prendem a esta terra e perdoo-me por ter cedido a esta paixão.

3 comentários:

Pedrita disse...

ah, não sei qual é o seu país natal, me perdi agora. beijos, pedrita

geocrusoe disse...

o gélido e bonito Canadá, também sou canadiano ou canadense como por aí se diz.

amg disse...

«meio pequeno não faz Homem grande», dizia o meu avô, médico numa aldeia a norte de Tomar, durante toda a sua vida (anos 40 a 60).
Embora compreenda o sentido da frase («penso eu de que»), gostaria de poder ter discutido com ele sobre esta frase.
Por várias razões...

Obrigado pela recordação.