sexta-feira, 23 de abril de 2010

23 de Abril - Dia Mundial do Livro

Tal como fiz no passado, comemoro o dia do livro divulgando aqueles que li no ano anterior e que mais gostei, eis portanto os primeiros em três categorias:
Melhor livro de escritor português: "Nenhum Olhar" de José Luís Peixoto
Prémio Saramago de 2001, com uma escrita entre o fantástico e o deprimente, descreve vivências rurais alentejanas de uma forma muito original. Possui algumas das páginas de escrita literária contemporânea mais belas na língua de Camões que li nos últimos anos, um poema em prosa.

Melhor livro de literatura Canadiana "The View from Castle Rock" de Alice Munro
Uma série de contos que descrevem a saga dos antepassados da autora desde a Escócia, até ao Canada chegando às suas memórias de adolescente e jovem mulher. Um dos livros mais ternurentos que li até hoje, mesmo no relato de alguns pormenores mais sombrios. Foi considerado um dos livros mais belos da literatura anglo-saxónica da última década. Publicado em Portugal pela Relógio d'Água com o título "A vista de Castle Rock".

Melhor livro do ano "As Benevolentes" de Jonathan Litell.
Um livro grande (mais de 1000 páginas) em dimensão e densidade de escrita de um autor norte-americano que escolheu o francês para esta prosa, adoptou um oficial homossexual alemão das SS para protagonista e a frente oriental da Polónia até às margens dos Mar Negro para relatar os horrores e absurdos da segunda grande guerra. Uma obra com uma violência psicológica extrema, mas onde a riqueza dos ensinamentos culturais e a forma de pensar no seio das SS são descritos de um modo ímpar. Um dos melhores livros que já li até hoje.

10 comentários:

Pedrita disse...

fiquei curiosa. beijos, pedrita

Jose Augusto Soares disse...

Só li um dos seus eleitos, mas evidentemente que o que importa é dar à data o relevo merecido.
E que não seja apenas uma vez por ano.

Abraço.

Anónimo disse...

Dos Livros indicados apenas li o do José Luís Peixoto. Fiquei presa à leitura como há muito tempo já não acontecia. Acima de tudo destaco a criatividade na escrita e no desenvolvimento da história.

Ana Luís

ematejoca disse...

Agradeço de todo o coração que tenha acreditado, que eu não quis roubar leitores e conteúdo à Georgia como ela continua a afirmar - nunca pensei que a acusação dela me ferisse tanto!!!
Fiz o que me disse, peço-lhe o favor de conferir se esses
"maltitos" links continuam a aparecer no seu blogue.

Quando acalmar, não dormi toda a noite, venho aqui para falar dos livros aqui apresentados, como sabe, ler é também uma paixão minha.

Abração e mais uma vez muito obrigada pela sua confiança.

tonsdeazul disse...

Só li o primeiro dos que são aqui referenciados e José Luís Peixoto é um dos meus escritores favoritos. Gosto imenso da sua escrita poética. "Uma Casa na Escuridão" é o meu preferido.

Boas leituras neste dia e em todos os dias do ano! :)

geocrusoe disse...

@ Pedrita
Igualmente curiosa nos 3 livros ou algum lhe despertou maior interesse?

@José Augusto Soares
Suspeito que foi o primeiro... mas todos têm estilos e mensagens bem diferentes.
Pode sempre falar ou comentar os livros que eu mantenho na coluna da direita, mesmo que não se integrem nos posts, fazem parte do blogue.

@Ana Luís
Eu gostei imenso, para algumas pessoas pode parecer um pouco estranha a imagem como um misto de gótico fantástico e depressão lusitana, mas algumas páginas são tão musicais e com uma estrutura tão poética que fiquei fascinado.

@Ematejoca
Acalme-se e saboreie a vida, são incidentes passageiros que não nos devem preocupar em demasia, até porque sabe que está inocente.

@Tons de Azul
Comecei precisamente por "Uma Casa na Escuridão", onde o fantástico e o deprimente se casam em poesia, uma fábula excelente, mas sei que será uma obra difícil para alguns.

Nuno Correia disse...

O livro do J. Luís Peixoto já li e gostei. Aliás este ano dele li "Uma casa na escuridão". Tb gostei. Muito gótico, mas o JLP tem uma prosa que me cativa. Dos outros, não conheço, mas fiquei curioso.

geocrusoe disse...

São todos bem diferentes, mas todos grandes livros.

Pedrita disse...

quero muito ler esse livro depois da peça. um vídeo dizia o mesmo q vc. mas fala muito do lado sombrio, da dificuldade de ler.

Carlos Faria disse...

Recomendo... apesar dessas páginas negras é mesmo uma obra-prima