quarta-feira, 13 de maio de 2009

CALDEIRINHAS DA ERUPÇÃO DA URZELINA

A pressão do magma em profundidade e a existência de zonas fissuradas na parte superior da crosta, permite não só a instalação de filões, como também o escoamento da lava longo de fissuras durante uma erupção: Vulcanismo Fissural.

Uma fissura com um jacto de lava contínuo. Imagem daqui

No vulcanismo fissural muitas vezes não existe definida à superfície uma simples fenda por onde sai lava livremente. Frequentemente, esta fissura é testemunhada por um alinhamento de bocas eruptivas que formam repuxos de lava que à noite permitem imagens espectaculares.

Repuxos de lava alinhados do vulcão Eldfell na Islândia. Imagem daqui

O alinhamento de 7 bocas (em forma de crateras, sendo 5 mais evidentes na foto) do vulcão da Urzelina nas Caldeirinhas (clique para ampliar)

Fenómenos destes tipo também já aconteceram nos Açores, inclusive em épocas históricas. Em São Jorge a erupção de 1808, Vulcão da Urzelina, uma fissura permitiu o alinhamento de sete bocas eruptivas que hoje ainda são bem evidentes na paisagem na zona das Caldeirinhas, junto ao entroncamento da estrada Urzelina - Santo António com o caminho para o Pico da Esperança.
Nesta foto é bem evidente duas despressões de relevo de duas bocas eruptivas (clique para ampliar)

4 comentários:

Tibério Dinis disse...

Bem, a fotografia do vulcão da Islândia é brutal.

Mais um excelente post:)

Haja saúde

geocrusoe disse...

eu seleccionei a foto em causa por calcular impressionante e uma boa forma de se visualizar o que seriam as caldeirinhas em actividade

José Quintela Soares disse...

O espectáculo deve ser dantesco, mas as fotos estão excepcionais.
E obrigado por mais esta explicação.

geocrusoe disse...

Pelo que sei, a erupção dos Açores, apesar de não ser muito falada, nem ter sido muito explosiva, teve aspectos catastróficos para as freguesias da Urzelina e das Manadas (Terreiros)