sábado, 9 de maio de 2009

FREGUESIAS RURAIS DO FAIAL 1: RIBEIRINHA

Dado uma fracção de visitantes do Geocrusoe procurar fotografias para "matar saudades" ou conhecer as ilhas, começo hoje uma série, descontinuada no tempo, a cobrir a paisagem dos aglomerados populacionais de todas as freguesias do Faial. Por motivos óbvios, a Ribeirinha terá um tratamento especial e com maior pormenor, abrirá o ciclo, com a localidade da Ribeirinha, e pretendo encerrá-lo com a localidade dos Espalhafatos.

Foto tirada para o quadrante sul com visão total da localidade da Ribeirinha (clique para aumentar)

Situada na ponta nordeste do Faial, a 10 km da norte da cidade da Horta, esta localidade desenvolve-se dentro de um vale resultante de uma escarpa de falha normal a N e de um grande edifício vulcânico a SW, é uma das poucas freguesias do Faial que não se encontra aberta para o mar, embora muito próxima deste.

Foto tirada para o quadrante norte com visão total da localidade da Ribeirinha (clique para aumentar)

Por se tratar de uma das regiões com características montanhosas, a Ribeirinha encontra-se cercada de importantes manchas florestais, intercaladas de pastagens de altitude, o que permite passeios a pé ou de carro com magníficos enquadramentos paisagísticos, muitas vezes desconhecidos dos próprios faialenses e ainda pouco explorados.

Foto tirada para o quadrante oeste com visão parcial da localidade da Ribeirinha (clique para aumentar)

A população da freguesia não atinge 500 habitantes e mais de metade a vive na Ribeirinha. No passado, a grande maioria dos habitantes viviam da agricultura, hoje grande a parte trabalha em Serviços na Horta. A pequena minoria de agricultores que ainda restam mantém a beleza das pastagens, os campos cultivados, preservam as sebes de hortênsias e tratam das numerosas manadas de vacas que emprestam o ar bucólico à localidade.


Foto tirada para o quadrante este com visão quase total da localidade da Ribeirinha (clique para aumentar)

A freguesia foi severamente afectada por dois sismos no século XX, em 1926 e em 1998, este último quase arrasou todo os imóveis, mas esta foi agora reconstruída com edifícios de engenharia sismo-resistente e os espaços reordenados para evitar as zonas de maiores riscos geológicos, tornando-se talvez, numa das zonas presentemente mais seguras dos Açores.

12 comentários:

A ilha dentro de mim disse...

Gosto particularmente da segunda imagem, que tem umas cores fabulosas. Só falta aqui a mítica paisagem do Farol...

Carlos Campos disse...

A sua 2ª foto é espectacular.
Uma das melhores fotos que já vi desta parte do grupo central.
Sem dúvida um bom local de inspiração.

Parabéns Ribeirinha por esta vista magnifica.

geocrusoe disse...

à ilha dentro de mim
a segunda foto já a exibi quando mostrei o triângulo visto do Faial, por gostar muito dela voltei a repetir e já foi utilizada noutros blogues para falar do pico e do triângulo. a primeira é a mais recente, pois foi tirada esta semana.
o farol não está dentro da povoação, mas há-de aparecer noutros posts, tal como já ocorreu. não fosse um dos ex-libris da ribeirinha

ao carlos campos
para quem sabe apreciar a paisagem a ribeirinha tem muito a oferecer, é só gostar de apreciar e andar pelo campo

Desambientado disse...

Estas nossas casas, nestas nossas ilhas, parecem de presépio. Diziam-me à dias, estrangeiros, que os Açores eram o lugar mais bonito que já tinham estado até hoje. de facto tudo isto é inigualável.

geocrusoe disse...

ao desambientado
concordo e esta beleza torna-se muito mais nítida aos olhos de quem sabem e quer observar e procurar os ângulos mais belos. deste modo os açores são espantosos devido à sua grande beleza

Fernando Vasconcelos disse...

A ultima imagem com aqueles verdes diferentes enfatizados pelo sol é espectacular. A com o céu cor de chumbo transmite uma atmosfera muito particular, isto só para lhe dizer que estas fotos são muito mais do que simples capturas de paisagens. Descrevem a emoção das vossas paisagens em meu entender.

geocrusoe disse...

ao fernando
mostrei várias condições de modo a evidenciar que a beleza permanece com várias meteorologias, mas de facto a nossa paisagem tem emoções variadas.

Anónimo disse...

Tenho passado muitas vezes pelo Blog, só para o conhecer mas hoje tocou-me profundamente.
Obrigado por nos dares a conhecer coisas com que esbarramos todos os dias sem as ver.
Podem-nos tirar tudo mas esta magnífica e deslumbrante paisagem não vão conseguir.
Parabéns

geocrusoe disse...

também espero que nunca consigam destruir esta paisagem...

Anónimo disse...

A Ribeirinha é de facto uma freguesia previligiada em termos paisagísticos, direccionados para o canal Faial/Pico/S. Jorge e Graciosa. Na 2ª foto falta ainda o enquadramento da Graciosa.
É pena não constar dos cartazes turísticos e também não estar mais sinalizada.
Realmente podemos não ter um campo de golfe. Podem não acrescentar o aeroporto. A nossa frente Mar pode crescer só a metade do que nos prometeram e podem-nos deixarem aqui prisioneiros do marasmo, mas quanto arrastar daqui as ilhas que nos arrebatam o olhar, isso não vão conseguir não...

geocrusoe disse...

efectivamente devemos potenciar aquilo que temos já hoje.

Random disse...

Mais uma vez um grande muito OBRIGADO, e um abraco.

Take care.