sábado, 14 de fevereiro de 2009

SAUDADES DA TERRA

Cada vez mais este blog é visitado pela comunidade de emigrantes dos Açores, que aqui passam muitas vezes sobretudo para matar saudades da paisagem da terra que os viu nascer.
Ribeirinha vista de Trás-da-Serra (clique na foto para aumentar)

Vários faialenses, sobretudo ribeirinhenses cujo conhecimento pessoal permita um maior contacto, têm-me feito chegar pedidos de imagem da sua terra. Ora sendo eu um filho da emigração açoriana que regressou às raízes da terra de partida dos pais, mas que não deixou de ser natural da terra de destino dos que de cá saíram, compreendo melhor que muitos o que é saudades da terra.
Ribeirinha vista da Chã da Cruz (clique na foto para aumentar)

Assim, aqui vão duas prendas para essa comunidade da qual eu sou filho e que mostram a Ribeirinha do início de 2009. Sei que gostariam de estar cá, tal como eu muitas vezes desejava estar aí, afinal é mesmo muito difícil gerir os sentimentos quando temos duas terras no coração.

7 comentários:

Random disse...

Gostei muito, obrigado. Adorei as fotos, e tu realmente representas aqui como a maior parte de nos (emigrantes) nos sentimos. keep up the good work...

Nélia disse...

Boa noite, como vai?

Nada melhor do que a beleza das fotos da terra natal para matar as saudades!
Agora as notícias de cá:O Rodolfo é um dos 30 finalistas em violino para a formação da 1ª Orquestra Sinfónica do Youtube e após a 1ª fase de selecção.Agora para a final a votação é feita no próprio site entre 14 e 22 de Fevereiro e todos podem votar. Para isso pode entrar em http://www.youtube.com/symphony, escolher Voto, na pág seguinte no Search colocar mscd000 para ir directo, clicar na foto pequena para abrir em ponto maior na esquerda e votar (mão verde).Não é fácil?
Com o meu agradecimento e contando com a sua colaboração e divulgação, desejo um bom fim de semana.

um abraço
Nélia

geocrusoe disse...

ao random
claro que compreendo perfeitamente os emigrantes, pois em parte sou emigrante da terra natal e imigrante na terra de trabalho, embora culturalmente também tenha raízes nesta última, não deixo de ser filho de emigrantes e nunca esqueço Galt e as primeiras impressões de criança.
Vou manter o trabalho, umas vezes com temas que mais gostas outros destinados a visitantes com preferências diferentes. Mais uma vez parabéns!

à nélia
já votei no rodolfo, mas ouvi vários dos outros concorrentes, não sei se a selecção musical do rodolfo é a melhor para cativar publico, paganini e bach impressionam muito... não sei se será apenas o voto do público a decidir.

Fernando Vasconcelos disse...

Como sempre uma fotografia espectacular ! Parabéns !

geocrusoe disse...

ao fernando vasconcelos
obrigado... mas é o modelo que faz superar os dotes do artista ;-)

A ilha dentro de mim disse...

As raízes não se compadecem com distâncias e sobrevivem mesmo longe da terra. Tenho sentido isso na pele desde que parti do Faial pela primeira vez e vejo agora os efeitos no coração do meu filho. Embora nascido em Lisboa e criado na Margem Sul, passa sempre as férias na casa dos avós, onde absorve mais da ilha do que imaginamos. Ainda nem tem três anos, mas já ganhou o cognome "o açoriano" no infantário por estar sempre a dizer que quer ir para os Açores... Também ele terá sempre duas terras.

geocrusoe disse...

Julgo que será mesmo verdade o que diz sobre o seu filho... vim para o Faial com 5 anos e intimamente nunca deixei de ser canadiano... mas passei a ser também faialense... adicionam-se terras à nossa vida, não se tiram do nosso coração, ele deverá ficar com duas terras.