sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

ROMA e contactos com livros

Como curiosidade, apesar das noticias por cà nao falarem de Portugal, hoje ao abrir o jornal gratuito "Metro", na pàgina dos livros, o destaque ia para o Dan Brown lusitano "sic", com o livro "Furia Divina" (parece que a traduçao nao cria problemas neste titulo).
Pode nao ser considerado a literatura mais erudita do pais, mas mais vale ler (e eu leio thrillers também) do que nao ler. Como curiosidade, apòs as despesas de traduçao e sabe-se là mais o que, o livro em Italia é mais barato que em Portugal...
Outra curiosidade de Roma prende-se com o facto de vàrios tuneis para os peoes serem livrarias subterraneas, com grande quantidade e variedade de obras, assim escapar a este transito caòtico através de livros é sem dùvida uma forma interessante que merece elogios.
Nesta maré de curiosidades, também descobri, na minha viagem de aviao para Roma, que o livro mais abrangente da minha escritora canadiana preferida, ao fim de quase uma década, foi agora traduzido para a lingua lusitana da europa. "O assassino cego" de Margaret Atwood, que ganhou o booker prize (o maior prémio literàrio anglo-saxònico) e onde a autora mostra todas as suas facetas numa ùnica obra. Assim, além de ser um magnifico romance, pela sua riqueza e a possibilidade de conhecer quem é a escritora de expressao inglesa mais premiada deste pais com toda a sua versatilidade temàtica, vale a pena conhecer este livro...

4 comentários:

Xinando disse...

Cuidado com as livrarias subterrâneas... não vás perder a superfície de Roma.

Grifo disse...

que ideia tão interessante, mas ao mesmo tempo distancia tanto da beleza da superfície...

geocrusoe disse...

ao xinando
nao hà esse risco, até porque sao corredores de passagem com alguma corrente de ar... mas dà para fugir aos indisciplinados condutores.

ao grifo
mas dà para aumentar a beleza da alma ;)

Grifo disse...

:P Isso dá para fazer em muitos locais... Mas ver Roma, só em Roma. :P