quinta-feira, 22 de novembro de 2007

PONTA DELGADA - Primeira Paragem

Ponta Delgada, a penúltima cidade do trajecto da minha vinda para Portugal há 40 anos... Importa esclarecer que não vim de avião, após um primeiro troço de combóio, seguiu-se uma semana de cruzeiro turístico a atravessar meio Atlântico e a minha entrada neste país deu-se na doca de Ponta Delgada mesmo defronte das Portas da Cidade.

Portas da Cidade, antiga entrada portuária da maior cidade do Arquipélago

Como já disse no passado, esta cidade tem uma arte de esculpir a rocha vulcânica de uma forma que para mim é única nos Açores e embora não seja uma urbe arquitectonicamente muito consistente, existem imóveis que vale a pena visitar, só para ver a sua riqueza escultórica na fachada e o interior de algumas igrejas.
Igreja Matriz com uma fachada com basalto esculpido em estilo manuelino, o pórtico principal é de calcário importado


Hoje esta cidade parece querer assemelhar-se a uma megalópolis, construiram espaços típicos de grandes urbes separados por zonas com ruas estreitas e arquitectura tradicional, um transito por vezes caotico. Uma miscelânea confusa que permitiu um adolescente na televisão comparar Ponta Delgada actual a Nova Iorque, mas ainda existem muitas zonas características que interessa conhecer.

Igreja de São Pedro, uma fachada típicamente micaelense onde o basalto sobressai

Ponta Delgada, local onde se encontra concentrada a maior quantidade de vulcanólogos de Portugal, situa-se na unidade estratovulcânica mais recente da ilha, que uniu duas antigas ilhas, uma a leste, que se estendia do vulcão do Fogo até ao Nordeste, e outra a ocidente, formada pelo vulcão das Sete Cidades... hoje há quem pense que, num futuro mais ou menos longíquo, algo de semelhante pode ocorrer no canal Faial - Pico.

PS: Ainda estou em Portugal mas os teclados para os ultimos retoques do post ja embirram com acentos... um treino para o cidade que se segue.

Sem comentários: