quinta-feira, 15 de novembro de 2007

ILHAS DO TRIÂNGULO - O ENCANTO AÇORIANO

Todo o arquipélago dos Açores é belo, nesta região só existem ilhas bonitas, embora umas mais que outras, mas para mim, o topo da beleza não é uma ilha é o conjunto das três ilhas conhecidas como do Triângulo: o Faial, o Pico e São Jorge (clique nas fotos para ampliar).
O Triângulo: o Faial em primeiro plano, ao fundo à direita o Pico e à esquera, alongando-se entre o mar e o céu... São Jorge.

Nenhuma destas três ilhas é semelhante à outra, todas se completam, cada uma tem uma especificidade única e a proximidade entre elas, bem como as numerosas ligações marítimas existentes (sobretudo no Verão), fazem do Triângulo um destino fascinante e surpreendente.


Baías do Porto Pim e da Horta onde sobre as quais se desenvolve a cidade em anfiteatro no Faial.

O Faial, com o seu impressionante vulcão dos Capelinhos, a sua magnífica Caldeira coberta de verde, os extensos campos de pastagens circundadas de hortências azuis, os seus vales suaves entre serras, o recreio náutico e a observação de cetáceos, praias de mar calmo e areia preta, a sua cidade em anfiteatro para baías, montes e cabos que se prolongam mar a dentro e entre os quais se instalou a marina mais importante de todo o Atlântico norte e a vista imponente da montanha do Pico, são cenários inesqueciveis de uma beleza e delicadeza sublime.
Costas Sul de São Jorge entre Manadas e Urzelina
São Jorge com com o seu relevo agressivo, nesgas de terra de difícil acesso na base de escarpas, entre o mar e a serra, onde se implantaram trilhos pedestres que atravessam uma natureza forte com cenários ora deslumbrantes ora de causar vertigens, os alinhamentos de crateras, os caminhos sobranceiros às freguesias e ao mar, o seu queijo único e lagunas que invadem o mar, permitem esquecer que a Terra está em perigo e que existem zonas urbanos longe da natureza.


A Montanha do Pico ao fundo e campos de lava em primeiro plano

O Pico e a sua majestosa montanha que permite um montanhismo acessível a muitos, as sua longas grutas vulcânicas preservadas, os seus campos de lava onde se estende uma reticulado único de muros entre os quais depontam videiras, uma paisagem património mundial, as suas adegas aonde o visitante aprende a amar os frutos saídos da rocha, a vista para as ilhas de São Jorge e do Faial e a observação de cetáceos, tornam esta ilha única no equilíbrio entre a terra agreste e o engenho da sobrevivência que permitiu uma cultura singular.

Três ilhas de beleza impar, um destino único sublime!

10 comentários:

Lc disse...

Ao ler este texto e admirando estas fotos, só apetece dizer:
"Realmente, temos muita sorte em viver neste cantinho de terra, no meio do Atlãntico."

José Quintela Soares disse...

Concordo com a análise.
E o potencial deste "Triângulo"...está ainda por explorar, com civismo e bom-senso.

Abraço picaroto.

Anónimo disse...

Por falar em triangulo, li no incentico que o governo regional abriu ou irá abrir uma nova loja do tringulo como forma de promover os produtos desta zona do arquipelago. Essa nova loja, ficará situada na rua Serpa Pinto, ou seja, a "kilometros" da actual loja do triangulo localizada no mercado municipal......continuo a dizer....mentes brilhantes!
A cidade é pequena, é um facto, mas a zona da cidade com maior expansão ja merecia outro tipo de atenção por parte dos comerciantes e governantes....enfim melhores dias virão

Ana Rita disse...

São lindas as ilhas todas... vistas assim de longe e só em determinados ângulos. (Ainda não me refiz do choque causado por umas fotos que vi um dia destes)

geocrusoe disse...

LC
Sei que estou em falta para contigo, mas o trabalho não me permitiu escrever ainda o prometido, mas é mesmo preciso ter sorte em conhecer-se o Triângulo.

Ao José Q Soares´
Espero que o bom-senso impere, para bem de todo o Triângulo.

Ao anónimo identificado por mim...
Concordo contigo que uma boa gestão de objectivos implicava a abertura de uma loja do triângulo noutra zona, mas é importante existirem espaços onde se encontrem produtos do Faial, Pico e S. Jorge acessíveis ao consumidor, quanto à escolha de sítios tão próximos cabe a outros descobrir o motivo.

À Ana Rita
Continuas a divulgar aquele disparate, cá por estes lados não se fazem atentados daquele calibre, até porque o investimento no essencial e acesório é muito menor, por motivos que tu mesmo conheces... por isso, apesar destas ilhas do Triângulo não serem perfeitas, ambientalmente, estão muito melhor conservadas pois, tal como antigamente, sem dinheiro, não se fazem grandes estragos.

Patriota d'uns actos disse...

Ó Geocrusoe, como sabes concordo quase sempre contigo e deixa-me te dizer que este teu último post está um brinco. Só um reparo, querias dizer “a vista imponente da montanha do Pico” ou a vista da imponente montanha do Pico?
É só um pormenor, mas...

Ana Rita disse...

Ó meu amigo
Estão os disparates não são para se divulgarem??? Ficam melhor mantidos em segredo que é para se continuarem a fazer? Eu até acho que aquele disparate está muito pouco divulgado. ("Disparate" é um eufemismo)

geocrusoe disse...

ao patriota d'uns actos
Quando escrevo, por norma, não penso tão fundo nas questões de português, por isso não estudei no momento se imponente era a vista ou a montanha, saíu assim, até porque neste caso se fundem, o cenário é assim porque a montanha também o é e confere essa propriedade à vista: tirem a montanha e a vista perde, mas deixe de olhar para lá(se conseguir) e o atributo da montanha deixa de existir. Tal como o Triângulo, são muitas as componentes de um conjunto único e valioso e o Pico e a sua montanha são fundamentais nesta unidade.

À Ana Rita
Os disparates e monstruosidade podem e devem ser denunciados, mas neste caso o tema foi do meu colega da blogosfera http://frutorei.blogspot.com em 9 de Novembro e é lá que deve ser discutido com o seu autor e visitantes, mas apenas teve 6 comentários até ao momento, embora pense que merecesse milhares de protestos. Não foi um tema lançado por mim, nem eu conheço o local.

Patriota d'uns actos disse...

“deixe de olhar para lá(se conseguir) e o atributo da montanha deixa de existir”
Olha Geocrusoe eu também tenho um amigo que é invisual, coitado, e como tal não consegue ver o montanha. Contudo, ela permanece lá. Penso eu de que...

Lérias disse...

e de música?
E DE ARTE?
NÃ GOSTA?

UM ABRAÇO