quarta-feira, 11 de maio de 2016

"O Livro de Areia" de Jorge Luis Borges



"O Livro de Areia" do argentino Jorge Luis Borges é composto de 13 contos no estilo fantástico típico do escritor. Os enredos cruzam tempos diferentes dos personagens, narram factos históricos ora reais ora baseados em livros antigos inexistentes, misturam personagens míticas com mundos reais das mais diversas partes do planeta mas privilegiando Argentina, o Uruguais e o norte da Europa, e onde por vezes o livro se torna o centro e é homenageado em bibliotecas representativas do saber mundial.
Este livro é a segunda coletânea de contos de J L Borges que leio, depois de O Aleph, o estilo fantástico, oculto e mágico sobre saberes reais e fictícios e tramas como livros é igual, embora agora já não me tenha surpreendido esta forma muito própria de escrita.
No fim o autor tem um posfácio onde enquadra as diferentes narrativas com base em objetivos pretendidos e esboços tentados entre outros aspetos. Gostei, um livro pequeno que se lê rapidamente, mas que pode surpreender positivamente uns ou desagradar a quem não gostar deste estilo único de narrar histórias de Jorge Luis Borges.

7 comentários:

Pedrita disse...

eu também gostei muito. dele já tinha lido ficções. comentei sobre esse livro aqui http://mataharie007.blogspot.com.br/2012/06/o-livro-de-areia.html
beijos, pedrita

Carlos Faria disse...

Curiosamente ao contrário do que contou no seu post, por cá só tem 13 contos e um epílogo que é um posfácio do autor sobre os contos.

olhodopombo disse...

Esse autor é um dos meus preferidos, embora aqui no Brasil ele seja julgado como um snob! gosto do fantastico ficcional dele, do amor que ele tinha pelos livros e a literatura e como ele se posta no meio do seu próprio mundo das bibliotecas.tenho vários livros dele!

Carlos Faria disse...

Gosto sobretudo quando ele utiliza o livro como fonte de sabedorias obscuras e elemento central do conto.

olhodopombo disse...

sim . Ele era um escritor erudito.

nuno martins disse...

Também gosto muito de Borges, já li o "Ficções" e a "História Universal da Infâmia" (que também deixei em tempos a minha opinião no blog, deixo o link), ando ao tempo a ver se leio o "Aleph" mas tal como muitos outros, está em lista de espera...
A escrita de Borges é fantástica, divertida apesar da sua erudição, a par de Gabriel Garcia Marquez é o autor Sul Americano que mais gosto.

Abraço

http://oqueeuleio.blogspot.pt/2009/01/histria-universal-da-infmia-jorge-luis.html

Belblioteca disse...

Eu li Ficções esse ano e apesar de ter gostado bastante, não faço ideia do que escrever sobre o livro. Não vejo a hora de pegar O Aleph.