domingo, 14 de dezembro de 2014

"Os luminares" de Eleanor Catton


"Os Luminares" da neozelandesa Eleanor Catton é um romance de ficção e entretenimento com recurso ao suspense em torno de um crime ocorrido numa cidade recém-criada pela corrida ao ouro na Costa Ocidental da Nova Zelândia em meados do século XIX.
A obra, extensa (884 páginas), com uma caracterização física e psicológica profunda das personagens, apresenta uma escrita muito cuidada, rica e tradicional. O texto possui uma estrutura semelhante à dos romances ingleses e franceses característica da época em que se desenrola a estória, com vilões, prostitutas, ingénuos, vinganças, crimes, pesquisas criminais, julgamentos em tribunal e paixões num mundo onde as mulheres são uma raridade. As pistas vão sendo expostas com o desenrolar do enredo, mas apenas se esclarecem as dúvidas com um regresso aos antecedentes do crime na última parte do livro que vai até à exposição no final.
"Os Luminares" foi prémio de ficção Governor General 2013 no Canada, destinado a autores residentes ou nascidos neste País, como também Man Booker Prize 2013, entregue a obras escritas em inglês na Commonwealth. Nem sempre estes galardões correspondem a obras que me agradem pela positiva, mas neste caso fiquei muito bem impressionado, tendo ainda em conta a maturidade da escrita numa jovem então com 27 anos e o talento demonstrado, o que evidencia que se podem fazer bons romances atuais sem cortar com a tradição de escrita e estrutura literária clássica. Gostei muito e recomendo a todos a leitura.

3 comentários:

Pedrita disse...

não conhecia, bela capa. anotadíssimo. do q está lendo, não li nada de harper lee. beijos, pedrita

Carlos Faria disse...

Harper Lee só tem este romance que foi prémio Pulitzer de 1961 e uma das obras de maior sucesso nos EUA na literatura do século XX.

DIARIOS IONAH disse...

Eu também gosto deste tipo de leitura. Aqui foi lançado A GRAÇA INFINITA, um livro de mais de mil paginas, um romance sobre a modernidade em que vivemos. E eu estou me preparando para ler.Vou ler ULISSES, antes.Do Joyce.

O LEITOR, do Bernhard Schlink é muito bom. Não vi o filme, mas todas as cenas passaram pela minha cabeça como num filme em tela grande....