quinta-feira, 23 de outubro de 2014

"Agosto" de Rubem Fonseca


"Agosto" de Rubem Fonseca é uma viagem alucinante que mistura factos reais e ficcionais de jogo, corrupção, crime, política, prostituição e investigação criminal ao longo do mês que desembocou no suicídio do Presidente do Brasil Getúlio Vargas.
Escrito numa linguagem popular e sem almofadas para suavizar o choque da frieza dos comportamentos criminosos e do enredo e interesses partidários, o autor traça vários retratos que mostram as diversas realidades do que foram aqueles dias de crise política na violenta cidade do Rio de Janeiro, onde a vida humana pouco vale, tanto para autoridades públicas, como para redes do submundo e onde a honestidade e os princípios nas pessoas correspondem à situação de exceção.
Rubem Fonseca não faz julgamentos de forma direta, apesar de o desajustamento social do protagonista e honesto comissário servir de contrapeso de reflexão sobre a sociedade. O livro lê-se de rajada, tal como são atirados de forma sucessiva o evoluir dos acontecimentos daqueles dias.

3 comentários:

Pedrita disse...

resumiu bem, é isso mesmo. uma crueza assustadora. e pra devorar tal a velocidade dos fatos. beijos, pedrita

ematejoca disse...

O romance que o Geocrusoe menciona, ainda não li, mas fiquei logo interessada ao ler o resumo.

Estou a ler A confraria dos espadas, 1998.

Bom fim-de-semana.

Carlos Faria disse...

É um livro forte, mesmo ao estilo de Rubem Fonseca e um retrato da cidade