quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

Geólogo e Beato: Nicolau Steno

Nicolau Steno, imagem daqui

Dinamarquês, nascido luterano a 11 de janeiro de 1638, convertido ao catolicismo com base nos seus estudos individuais, observador da natureza, desenvolveu numerosos trabalhos na área da medicina, mas foi nas Ciências da Terra que as suas descobertas se destacaram.
Ainda hoje as suas deduções são ensinadas logo nos primeiros anos da geologia: Lei de Steno na cristalografia sobre a constância dos ângulos entre faces equivalentes de um dois cristais do mesmo mineral,e os Princípios da sobreposição dos estratos, da horizontalidade de formação das camadas sedimentares e da continuidade lateral, bem como a idade relativa das descontinuidades dentro de uma rocha, estão ainda hoje na base da estratigrafia moderna, sem esquecer a sua afirmação de que os fósseis eram os restos dos seres vivos à data da formação das rochas, antecipando em muito a raízes da teoria de Darwin.
A sua carreia de conversão e trabalhos teológicos levaram à sua beatificação por João Paulo II em 1987, mostrando que é possível ser-se um grande cientista e homem de fé.
Se à humanidade não faltarem homens de Saber como Steno e bons o futuro será bem melhor.

4 comentários:

Professor Elias Santos Junior disse...

Realmente a homenagem do Google repercutiu bastante meu caro, espero que essa seja a primeira de muitas homenagens aos pioneiros da Geologia, como estão as coisas aí em Portugal?

geocrusoe disse...

Seria bom haver essa repercussão... embora duvide.
Por Portugal em termos de geologia os Açores estão com sinais de instabilidade sismovulcânica, esperemos que não ultrapasse os níveis de agora.
Economicamente estmos a enfrentar as exigências sempre crescentes do FMI e isto o Brasil já conhece, só que aqui não se sabe quando vai parar e se vai acabar bem.

Pedrita disse...

gostei de conhecer. às vezes eu penso q ser geólogo no brasil deve ser muito difícil. aqui pouco se faz para prevenir desastres, sempre o governo diz q enviará muito dinheiro para minimizar os desastres, mas quase tudo se desvia. e a cada um novamente procuram esses profissionais para novamente ignorar tudo o q dizem. não deve ser fácil ser geólogo aqui. beijos, pedrita

geocrusoe disse...

Não é fácil em quase todos os países, sobretudo para os ligados à prevenção de acidentes e problemas ambientais.
Claro que na lusofonia onde se pensa que dar um jeitinho, se acontecer alguma coisa, resolve o problema, a prevenção é altamente descuidada. Isso acontece também em Portugal... nos Açores como sismos, vulcões e furacões são relativamente frequentes sempre existe uma maior atenção.
Estranho todos os anos haver deslizamentos de terra no Rio de Janeiro e ainda não terem mudado o modo de ver o problema