quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Sophia de Mello Breyner Andresen

Sophia de Melo Breyner Andresen


Porque os outros se mascaram mas tu não

Porque os outros se mascaram mas tu não
Porque os outros usam a virtude
Para comprar o que não tem perdão.
Porque os outros têm medo mas tu não.
Porque os outros são os túmulos caiados
Onde germina calada a podridão.
Porque os outros se calam mas tu não.

Porque os outros se compram e se vendem
E os seus gestos dão sempre dividendo.
Porque os outros são hábeis mas tu não.

Porque os outros vão à sombra dos abrigos
E tu vais de mãos dadas com os perigos.
Porque os outros calculam mas tu não.

4 comentários:

Pedrita disse...

acabamos os dois falando de poema. beijos, pedrita

geocrusoe disse...

Sophia é sem dúvida uma das poetisas mais marcantes do século XX em Portugal e na língua Portuguesa, apesar da sua ascendência em parte Dinamarquesa.

Anónimo disse...

Esta poetisa nortenha também tinha merecido o Prémio Nobel.

Fiquei, no entanto, muito satisfeita, por ter sido um poeta a ganhar o Prémio Nobel da Literatura 2011, mesmo sendo um poeta sueco (o maior poeta sueco vivo) e não um português.

Abraço da Cidade Invicta!!!

Teresa Hoffbauer (EMATEJOCA)

geocrusoe disse...

Infelizmente não conheço a obra dele, algo de estranho pois já não é a primeira vez que um laureado com o Nobel praticamente é desconhecido em Portugal e a sua obra não está traduzida para português europeu.