terça-feira, 21 de junho de 2011

São Jorge - Uma relação a manter

Foi em torno da igreja de Santa Bárbara das Manadas, classificada de património nacional, que nasceu a minha relação com São Jorge, era eu ainda uma criança de escola, desde então o meu encanto por esta ilha nunca mais me deixou...

As minhas relações estenderam-se no início por toda a freguesia e depois alastraram-se desde a Ponta dos Rosais à Pontinha do Topo, desde então ficaram-me recordações de excelentes para não mais esquecer e a ligação foi sempre crescendo.


Hoje voltei a esta ilha e, pela primeira vez, mais para cortar algumas ligações do que para recordar, mas uma certeza fica: terei sempre uma relação viva com São Jorge e esta ilha nunca deixará de ser uma das minhas terras predilectas...

3 comentários:

Anónimo disse...

S. Jorge é de facto uma ilha fabulosa.
Não só pela sua configuração, mas também pela sua localização no centro do grupo central...
Basta ir ao farol dos Rosais ou aos matos de Santo Antão e observar, ao mesmo tempo, as 4 ilhas vizinhas.
Mas o que mais valioso tem a ilha é a sua população. Calma, cordata, hospitaleira!
Basta citar, como exemplo, o que se passou nas últimas semanas com a celebração das Festas do Espírito Santo!

Pedrita disse...

que lindo! e esses livros q vc está lendo devem ser ótimos. beijos, pedrita

geocrusoe disse...

@Anónimo
Pelo que sei, embora com aspectos diferentes, no Faial as festas do Espírito Santo não são menos vividas...

@Pedrita
Por coincidência são todos óptimos nos temas e estilos que abordam.