quinta-feira, 25 de junho de 2009

MONITORIZAÇÃO GEOQUÍMICA E PREVISÃO VULCÂNICA

O início de uma erupção está sempre associado à subida de magma armazenado em locais de maior profundidade, na crosta ou no próprio manto, para zonas mais superficiais. Ascensão que pode alcançar a superfície ou não.

(Fotos gentilmente cedidas por F. Viveiros)

Recolha de gases de uma fumarola para análises químicas nos Açores.

A subida do magma tende a provocar um aumento da quantidade de gases que se liberta do interior do sistema vulcânico, sobretudo pela redução da pressão, o que facilita a libertação dos voláteis dissolvidos no magma.
Paralelamente, devido à redução da distância percorrida pelos gases até à superfície, tende a aumentar a proporção dos compostos estáveis dentro do magma mas que se alteram mais facilmente no caminho por reagirem muito com os materiais que atravessam.

Pormenor do tubo de armazenamento de gases recolhidos.

Assim, num sistema em dormência vulcânica, a quantidade de gases emitidos e as proporções das diferentes substâncias libertadas (dióxido de carbono, compostos de enxofre, hidrogénio, radão, entre outros) tende as sofrer poucas alterações, muitas vezes relacionadas apenas com as modificações das condições meteorológicas superficiais. Ao longo deste período, os geólogos tendem a perceber dentro que valores estas variações podem ser consideradas normais.

Diversas acções de monitorização de gases em fumarolas nos Açores.

Sempre que ocorram aumentos na quantidade de gases emitidos e variações na proporção dos compostos fora do normal, os vulcanólogos da monitorização geoquímica tentam compreender o que ocorre em profundidade que possa provocar os efeitos detectados.
Os alertas de eminência de uma erupção são lançados quando vários parâmetros dos vários tipos de monitorização coincidem com a explicação de uma progressiva subida de magma para zonas que podem futuramente atingir a superfície... mesmo assim, pode não ocorrer uma erupção.
Presentemente, verifica-se que, por norma, nos vulcões monitorizados se detectam atempadamente os sinais necessários para que os avisos à população cheguem em tempo útil de modo a se reduzirem os danos em pessoas e bens.

6 comentários:

Sérgio Santos disse...

O movimento Pró-voto, movimento apartidário criado por um grupo de alunos da licenciatura em Estudos Europeus e Política Internacional da Universidade dos Açores, vem convidar o(s) autor(es) deste blog e todos aqueles que por aqui passam para estarem presentes no debate subordinado ao tema “Da abstenção ao voto obrigatório”, que se vai realizar na próxima segunda-feira dia 29 de Junho, pelas 9:30 no anfiteatro B da Universidade dos Açores.

Para mais informações, vão a: www.movimento-pro-voto.blogspot.com

MPMurad disse...

MAIS UMA VEZ, PARABENS PELO BLOG E OS TÓPICOS ESCLARECEDORES.

ABRAÇO

geocrusoe disse...

ao MPMurad
este blog tem sempre esta componente científica, mais ou menos intensa em função do meu tempo e material audiovisual disponível. Obrigado

Os Incansáveis disse...

Bem didática e ilustrativa a explicação. Gostei muito.
Denise

geocrusoe disse...

aos incansáveis
tento ser simples para que todos entendam, se alguém quiser algo mais complexo e eu souber, existe sempre aqui este espaço para martelar os assuntos.

Professor Elias SantosJunior disse...

Ola caro colega, vi outro dia um post que falava de uma festa em sua ilha, hoje começa o maior festival folclórico da Amazonia, e eu fiz um post sobre o assunto, veja lá, abraços e saudações geoógicas.