segunda-feira, 6 de agosto de 2018

"As oito Montanhas" de Paolo Cognetti


O romance "As oito montanhas" do italiano Paolo Cognetti é a história de uma criança de pais que se uniram após agruras nas cordilheiras dos Alpes orientais da Itália, se apaixonaram pelas montanhas e quiseram ensinar com grandes dificuldades esse amor pelas alturas ao seu rebento. É a narrativa do nascer da amizade entre este filho e um pequeno guardador de gado montanhês que se foi desenvolvendo de forma pura e agreste como os pináculos dos Alpes ocidentais até à idade madura. É a evidenciação do contraste entre a beleza e poesia da natureza e da vida nestas altitudes quilométricas face à rotina e à fealdade do dia a dia comum nas grandes urbes desenvolvidas nas planícies do sopé destes monumentos naturais que se erguem aos céus no norte da Itália. É a dificuldade da sobrevivência do amor perante os constrangimentos da sociedade moderna.
O livro é um poema em prosa, uma descrição de uma cultura em extinção, o homem montanhês perante a pressão desta sociedade desnaturalizada que invade tudo, mas que apesar de não se adaptar aos cumes dos Alpes e bordeja os Himalaias, sabe como destruir esse património e saber de vida centenário.
Um romance originalíssimo de um jovem milanês escrito em 2016 que toca a alma, mas também faz doer com o ocaso de uns tempos que pela mudança estão a desaparecer.

4 comentários:

Pedrita disse...

nao conhecia. é no mínimo original. fiquei curiosa. beijos, pedrita

Carlos Faria disse...

Amizade, bucolismo e vida na montanha é algo difícil de imaginar num livro tão recente e escrito em 2016 para um protagonista nascido na década de 1970. Bem escrito

Kelly Oliveira disse...

Olá Carlos, amei seu comentário sobre esse livro

<>

Carlos Faria disse...

Penso que se o ler vai gostar, a mensagem é sobretudo um elogio à amizade a retratar um mundo em extinção escrita de uma forma poética