sábado, 11 de agosto de 2018

" As cores da Infâmia" de Albert Cossery

Excertos
"É isso mesmo que te reprovo. Não há nada de mais imoral do que roubar sem riscos. É o risco que nos diferencia dos banqueiros e dos seus émulos que praticam o roubo legalizado com cobertura do governo."

"A verdade não tem nenhum futuro, ao passo que a mentira é portadora de grandes esperanças."

"Fica sabendo que a honra é uma noção abstracta, inventada como sempre pela casta dos dominadores para que o mais pobre dos pobres possa orgulhar-se de possuí-la."

Albert Cossery, um egípcio que escrevia em francês, tornou-se num dos meus autores de eleição pelo seu humor sarcástico nos seus pequenos livros, o seu elogio manha como arte de sobrevivência dos mais desprotegidos ou pelo elogio irónico dos defeitos humanos e da sociedade.
"As cores da infâmia" não me desiludiu, faz uma crítica acérrima da diferença no modo de roubar dos fracos e dos poderosos e como frequente nas suas obras, a presente romance também decorre no Cairo, com as personagens principais a viver na pobreza.
Ossama é um jovem pobre que aprendeu que pelo trabalho honrado não sairia da miséria, teve um mestre que o ensinou a ser carteirista e como autodidacta aperfeiçoou o seu ofício, vestindo-se bem para poder selecionar ricos sem levantar suspeitas. Após a espreita e o seu último roubo na carteira da vítima há uma carta de um empreiteiro de construção onde se vê tática de ganhar muito a comercializar edifícios sociais frágeis com risco para os moradores pobres, tudo isto em conluio com um irmão de  ministro o que permite viabilizar a estratégia.
Que fazer com este achado num país onde jornais, poder e corruptos formam uma teia difícil de romper e passar a denúncia? Terá de pedir conselho ao seu mestre e este a um escritor que ex-presidiário pela denúncia de atos políticos num livro, mas que se tornou num génio de se divertir com o cinismo das pessoas em sociedades em todos os estratos.
Divertidíssima a forma como Cossery brinca com os males da sociedade tornando-os em deliciosas guloseimas virtuosas nos seus romances. Adorei.

2 comentários:

Pedrita disse...

nunca li nada dele. fiquei curiosa. beijos, pedrita

Carlos Faria disse...

É um autor que recomendo que descubra