quarta-feira, 4 de novembro de 2015

"Sangue Sábio" de Flannery O'Connor



"Sangue Sábio" de Flannery O'Connor, que acabei de ler, é um pequeno romance diferente do habitual. Mostra o peso das religiões cristãs no sudeste dos Estados Unidos, tema também presente nos seus livros de contos, um deles li e falei aqui.
Com recurso à linguagem popular das pessoas humildes do Tennessee, situação que é difícil de transpor numa tradução e seguramente perde muito com esta, esta edição não é um bom exemplo de um tradutor, a obra, apesar de conter momentos irónicos e divertidos, não deixa de ser amarga, deprimente e com situações duras, fruto de pressão psicológica causada pelo fanatismo religioso instalado na sociedade, sobretudo evangélico, aspeto brilhantemente trabalhado através da criação do protagonista, um jovem pregador que vindo do serviço militar para se libertar deste peso cria e anuncia a sua "igreja sem Cristo".
Todas as personagens do romance tem uma componente desequilibrada e ou oportunista, tanto crente como descrente, criando situações bizarras e mesmo momentos de violência, apesar de tudo, gostei do retrato apresentado de uma sociedade onde a fé pode ser tão perversa como o racismo.

3 comentários:

Pedrita disse...

fiquei curiosa. gosto de livros que questionam religiões. que pena que a tradução é sofrível. amo thérese desqueyroux. um amigo que falou muito desse livro pra mim e me presenteou. beijos, pedrita

nuno martins disse...

Outro livro que também li recentemente, (ia fazer uma review dele no meu blog, mas infelizmente foi dos que por falta de tempo ficaram para trás...) gostei, apesar de o ter achado um pouco estranho, nunca tinha lido nada de O'Connor e este foi o primeiro e até ver único livro que li dela, tenho que ler os contos dela que dizem são muito bons.

Carlos Faria disse...

Já li um dos livros de contos e gostei, mas os finais felizes e pessoas descomplexadas também não dominam os contos. Mas gostei mais destes do que do romance, que aliás possui um português de quem não soube traduzir bem a autora.
http://geocrusoe.blogspot.pt/2015/04/tudo-o-que-sobe-deve-convergir-de.html