sábado, 6 de outubro de 2012

Sputinik, meu amor - Haruki Murakami



Ao fim de muito tempo de ouvir falar, mas sem nunca me ter interessado em ler; li pela primeira vez um livro da Haruki Murakami, "Sputnik, meu amor". Não sendo um livro cor de rosa, também não é de grande profundidade literária, digamos um "crossover" entre uma obra mais comercial que junta alguma reflexão inteletual e com uma escrita escorreita. Murakami, apesar de ser japonês, enche a obra de referências à cultura ocidental: música, literatura e seu autores, como se o escritor, sem renegar as suas origens, estivesse exageradamente interessado em mostrar-se ao ocidente. Não desgostei do livro em termos de lazer, tem momentos com alguma profundidade, outros que roçam mundos mágicos, mas sempre com uma tristeza latente aos amores que desde o início se percebem ser impossíveis de se completarem. Para alguns, estes serão menos naturais, mas inteiramente viáveis nos sentimentos e desejos humanos e expostos de uma forma sem preconceitos e sem imposições.

6 comentários:

Pedrita disse...

acho q nunca li nada dele. eu adoro o visconde partido ao meio, um dos q mais gosto do italo calvino, q está entre os meus autores preferidos. beijos, pedrita

ematejoca disse...

Haruki Murakami foi sempre muito influenciado pela cultura ocidental, mas também não admira, ele traduziu para o japonês obras de F. Scott Fitzgerald, Truman Capote, John Irving e Raymond Carver.

É até mesmo possível que este autor ganhe o Nobel de Literatura na próxima quinta-feira, pois está cotado como o favorito.

Carlos Faria disse...

Pois em breve falarei do visconde... quanto ao Murakami, não sei, só por um livro é difícil ajuizar a qualidade do conjunto da obra, mas de Italo posso dizer que está no conjunto dos meus escritores favoritos.

ematejoca disse...

Italo Calvino, um dos mais importantes escritores italianos da segunda parte do século XX, é também um dos meus autores favoritos, sendo "Wenn ein Reisender in einer Winternacht" um dos livros da minha vida.

Pois bem, o Italo Calvino já não pode ganhar o Nobel, e quem vai ganhar o Nobel de Literatura na próxima quinta-feira com a trilogia 1Q84 (fonéticamente 1984) é o Haruki Murakami.

Carlos, não me quer dizer o seu palpite?

Carlos Faria disse...

Italo Calvino seguramente já se situa no conjunto dos meus escritores de prediletos, existem outros de estilo bem diferente (Mann,Saramago,Marquez, etc) mas não gosto menos de uns do que outros.
Sobre candidatos, de Murakami só li esta obra e por esta não seria o meu escolhido.
Entre outros candidatos que eu conheço, claro a minha preferência iria para Alice Munro (além do nacionalismo canadiano, adoro muitos dos seus livros, nem sei qual gosto mais) e o Don DeLillo (deste só conheço uma obra, "submundo", mas só por ela já justificava)

ematejoca disse...

A Alice Munro seria a minha favorita, sem nacionalismo canadiano.

Aqui também há muito gente que gostava e até mesmo acredita que seja Don DelLillo o próximo Nobel de Literatura.

Vamos lá ver na quinta-feira e, amanhã temos o Nobel de Química.

Para mim, o Nobel de Medicina, Física e Química são mais importantes do que o Nobel de Literatura, Paz ou Economia, mesmo assim, tenho curiosidade de saber quem são os eleitos.