quarta-feira, 5 de setembro de 2012

O Jogador: Fiodor Dostoievski



Acabei de ler "O Jogador" de Dostoievski, o primeiro livro de um grande escritor russo que li. Optei por uma pequena obra tendo em conta que desconhecia o autor e a literatura daquele país.
Trata-se de um livro de fácil leitura, muitas vezes hilariante, com uma escrita muito linear típica das obras do século XIX e apesar dos numerosos francesismos estes estão devidamente traduzidos em rodapé para quem não dominar a língua de Victor Hugo.
Parece uma obra de mero divertimento, mas o livro é denso de reflexões psicológicas e sociais: a desconfiança e preconceitos entre os povos de diferentes nacionalidades europeias, os comportamentos compulsivos de muitas pessoas e o estilo de vida falso e insustentável de muita aristocracia do velho mundo.
Uma pequena obra bem construída que é um retrato de um certo tipo de classe social que na sua singeleza  levanta questões ainda atuais sobre a sociedade e as relações humanas.

4 comentários:

Pedrita disse...

eu gosto muito do dostoiévski, mas esse não li. eu acho bem interessante a profundidade dos livros dele. li outro fininho, memórias do subsolo e é igualmente impactante. gosto de mia couto, mas não li jerusalém. beijos, pedrita

ematejoca disse...

Nem queria acreditar, que um homem culto como o Carlos desconhecesse este escritor, um dos grandes nomes da literatura russa.

Estou absolutamente de acordo com o que o Carlos escreve sobre o "Jogador"; leia a seguir o melhor e o mais denso romance deste autor, uma verdadeira obra prima "Crime e Castigo".

Carlos Faria disse...

@Pedrita
Compreendo o que disse de Dostoievski e eu também gosto muto de Mia Couto, até pelas partidas linguísticas que ele coloca nas palavras inluind JeSuSalém.

@Ematejoca
Não estranhe, eu não me considere assim tão culto,embora conhecendo o país em que vivo talvez o nível esteja acima da média. Mas sou uma pessoa que também se reparte pelas ciências naturais e ainda há muito que ler, gosta de música e de estudá-la e ainda de entender a pintura, o que faz com que não tenha tido tempo para chegar a tudo o que quero.
Conheço genericamente a estória de Crime e Castigo, li uma versão para jovens, como uma fotonovela, ainda adolescente. Por isso em próximas oportunidades estou a pensar pelos irmãos karamazov ou o idiota.

serebelo disse...

E foi no Faial que li Dostoievski. O Crime e Castigo, os Irmãos e o Idiota, tudo graças à biblioteca local (e eu que nunca vi a nova)! É dos meus escritores favoritos e aconselho-te vivamente o Crime e Castigo, que obra brutal! Abraço de Luanda.