segunda-feira, 12 de setembro de 2011

ARTUR GOULART - Salmo 152




O tempo que corre
é mar que se espraia.

As ondas são sonhos
perdidos por mim.

O vento é espuma
rendando desejos.

A rota é o longo
caminho da posse.

O amor é um barco
que eu fiz para ti.

in "no fio das palavras"

2 comentários:

Anónimo disse...

O poema de Artur Goulart é tão bonito como a foto e essa, tão bonita como a paisagem.

onésimo

geocrusoe disse...

Obrigado.
Pena que mais ninguém tivesse elogiado este poema, mas o encómio veio de alguém que reconhecidamente sabe dar o verdadeiro valor às coisas.