terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

FREGUESIAS RURAIS DO FAIAL 8: Feteira

Situada na costa sul do Faial e a confrontar a leste com a cidade da Horta, a freguesia da Feteira, fruto deste enquadramento demográfico e das suas boas aptidões agrícolas, é a comunidade rural mais populosa da ilha com pouco mais mais de 1600 habitantes, mas nunca perdeu o seu encanto bucólico e rural.

A freguesia de Feteira, uma das mais antigas da ilha e já referenciada no século XVI, possui uma beleza discreta que um visitante menos atento à primeira vista não descobre, mas se calmamente percorrer algumas das suas ruas, irá ser presenteado com lindos e amplos cenários paisagísticos que surpreendem pelo seu encanto e parecem dialogar com o Mar e abrir-se ao Pico.

O facto de se desenvolver numa vertente muito suave exposta a sul, circundada por vários cones vulcânicos e cortada por várias ribeiras, associado à proximidade à Horta, tornou-a desde o início numa das principais regiões agrícolas da ilha. Se no passado se evidenciavam os campos de cereais dourados, hoje não são menos belos os seus pomares, campos e floricultura e os verdes pastos por onde se dispersa o gado bovino encaixados numa malha de ruas de casario predominantemente branco.
Apesar de ser atravessada por um eixo de união porto-Horta-aeroporto, de algumas ruas terem tido um intensificação urbanística recente e da freguesia possuir zonas industriais e de armazéns de comércio por grosso, a Feteira nunca ficou descaracterizada, mostrando que é possível conciliar investimento urbano e económico sem se perder a sua identidade.

A sua Igreja do Divino Espírito Santo, próxima do mar e da sua área de lazer costeira é o edífício que mais se destaca na paisagem, mas disperso pelas várias ruas da Feteira numerosos impérios e algumas moradias tradicionais são imóveis muito interessantes na arquitectura tradicional da ilha... sem dúvida esta é uma freguesia a descobrir e com um interessante potencial turístico ainda por explorar.

2 comentários:

Pedrita disse...

adorei as fotos. beijos, pedrita

geocrusoe disse...

@ Pedrita
Tal deve-se à beleza dos cenários...