segunda-feira, 23 de abril de 2018

Dia Mundial do Livro 2018 - Os meu preferidos de um ano de leituras

Anualmente, nesta data do ano costumo publicar a minha lista daqueles que foram para mim os melhores livros em várias categorias de um ano leitura. Assim desde de 23 de abril de 2017 até hoje, mesmo sem a presunção de considerar que esta lista é indiscutível, eis a minha opinião pessoal à data da escolha, a lista de obras lidas estão todas em postas desde então e os vencedores de 2018 são:

Melhor livro de literatura escrito originalmente em Português

Trabalhar a língua explorando as suas versatilidades e sonoridades, ter uma mensagem importante, ser original na narrativa e ainda ser de fácil leitura a qualquer leitor não é uma combinação frequente; Julián Fuks, apesar da origem não lusófona, domina o Português e coloca estas características em literatura como poucos escritores da língua de Camões têm sido capazes, o seu herói e irmão adotado, com todas os dilemas que tal coloca no seio da família e do próprio, é o melhor tributo a todas aquelas pessoas que estenderam as mãos a crianças que precisavam de um pai e de uma mãe na verdade e não apenas pelo sangue. A posta dedicada a este romance aqui.

Melhor livro de literatura e escritor do Canada

Esta categoria é devido a ser o Canada o meu País natal e raramente corresponde à edição de uma obra em português, pois por norma opto por ler a literatura Canadiana no original, mas o contacto com esta obra, apesar de premiada no Canada, foi primeiramente por cá e nem sabia que era de uma escritora do meu país natal. O tema interessou-me, a saga de sobrevivência uma família de artistas na China, onde a música erudita estava no cerne da história, decorre longo de mais de meio século, permite-nos compreender a vida dos cidadãos no país mais populoso do mundo, escrito num estilo poético de rara beleza e cheio de referências a várias obras-primas da música ocidental, uma obra-prima que disserta sobre outras obras-primas, com destaque para a música erudita e nos dá uma lição de história da maior nação da Terra. A posta aqui.

Melhor livro de literatura de escritor de Portugal

Nesta escolha tive de me questionar se era válido selecionar um livro difícil para o comum dos leitores e a resposta foi sim, isto se a obra tem mérito pela técnica de escrita, pela inovação da narrativa e pelo conteúdo. A Brecha reúne tudo isto e nada contou o facto do autor ser Açoriano, narrado de múltiplas formas e a ideia de pôr os mortais a abater deuses, seres superiores a nós, para colocar o Homem dono das suas decisões e responsável único dos seus atos, dada a forma como foi contada, torna-o numa obra de arte e é assim que esta dá passos em frente, não morre e ainda põe-nos a refletir, pode ver a posta que lhe foi dedicada aqui.

Melhor livro do ano

A escolha mais difícil até porque não gosto de optar por um vencedor das outras categorias, os quais por si também poderiam figurar neste espaço. Assim, a solução foi por um livro que pode ser um romance fácil ou difícil conforme se opta por o ler e tem orientações de leitura para os dois casos no próprio livro, sendo que na fácil é uma história de uma paixão numa sociedade em mudança na década de 1960, um excelente retrato de época transparece em torno deste amor livre, enquanto a via difícil, bem mais extensa tem tudo isto e ainda uma grande análise sobre o que é a literatura, discussões filosóficas, choques culturais e escrita e muita narrativa criativa. A posta dedicada à obra está aqui.

1 comentário:

Pedrita disse...

concordo, listas nunca são justas, mas eu acho imprescindíveis. e por termos gosto literário parecido, suas listas se tornam fundamentais para mim. só li o jogo da amarelinha que amo. vou anotar os outros. beijos, pedrita