sábado, 10 de dezembro de 2016

AMOK de Stefan Zweig


Acabei de ler o livro "Amok" do austríaco Stefan Zweig, pela sua dimensão e estrutura, 74 páginas, poderá ser qualificado como um conto.
A história refere-se a uma confidência feita numa viagem de paquete entre a Índia e a Inglaterra por um passageiro amargurado e isolado que o narrador encontrou numa hora avançada da noite e relativa ao comportamento que ele tivera como médico perante uma mulher de sociedade que o procurara numa terra colonial onde exercia a sua profissão numa aldeia afastada para este lhe prestar um serviço que ele entende não ter sido solicitado de modo adequado face à força que emana da jovem, por isso decidiu-se por um estilo de conflito mútuo, a que se seguiu um arrependimento tardio e uma tempestade de sentimento incontrolável, denominada na língua nativa de estado "amok", que o leva a agir de forma descontrolada e a procurá-la, atitude que desemboca numa tragédia e num compromisso fatal.
Escrito com uma elegância e com um ritmo que nos faz mergulhar vertiginosamente no dilema médico, ético e inclusive moral, este conto mostra uma análise profunda e densa de um drama psicológico de pessoas de classes sociais elevadas onde a imagem pública e a honra sobrepõe-se muitas vezes às questões de moral e ética privada. Gostei.

7 comentários:

Pedrita disse...

ai, que vontade de ler. eu vi um filme e um documentário sobre ele e o tempo que passou no brasil. dois filmes com seus textos. acho que até mais um outro. mas nunca li nada de ficção. q coisa. adoro naipaul. esse q está lendo não li. beijos, pedrita

Carlos Faria disse...

Gostei mais de 24 horas na vida de uma mulher, mas também gostei deste, são sempre histórias que decorrem em pouco tempo mas que são emocionalmente muito fortes e obras pequenas pelo que se lê rapidamente. Ele escreve muito bem e num estilo aristocrático. Estou a gostar de Naipaul, mas é estreia absoluta no escritor

Marta disse...

Gosto imenso de Zweig.
Há um livro dele bastante bom (e com um preço bastante simpático) "Coração impaciente". "Confusão de sentimentos" é fantástico, é constituído por 8 novelas/contos.
Um destes dias tenho que me aventurar nas suas obras de não ficção.

Carlos Faria disse...

Só tem visto livros com contos/novelas isolados, essa via acelerava de facto a exploração da bibliografia de Zweig.

Kelly Oliveira disse...

Olá!

Fiquei surpresa quando li "Stefan Zweig" nesse post, pois esse é um dos próximos autores que quero conhecer.

Achei interessante o pouco que vim a conhecer de sua história, devo começar pela sua biografia e depois por uma de suas obras por assim dizer "literárias".

Desconhecia esse livro ou "conto".

Abs.

Carlos Faria disse...

Mas é um livro onde os valores cristãos são espezinhados pelo parecer bem em sociedade.

Kelly Oliveira disse...

Sim, eu sei.
Gosto de ler pontos de vista diversos. Creio ser importante saber como pensar aqueles que pensam diferente de nós. Abs.